Clique e assine a partir de 9,90/mês

Biden, Obama, Gates e outras figuras públicas foram hackeadas no Twitter

As contas do Uber e Apple também foram comprometidas, como parte de um golpe instruindo seguidores a fazer doações com criptomoedas

Por Da Redação - 15 jul 2020, 19h41

As contas do Twitter de Joe Biden, Barack Obama, Kanye West, Bill Gates e outras figuras proeminentes foram hackeadas nesta quarta-feira, 15. Todos os perfis fizeram postagens que pareciam promover um golpe de criptomoeda, ou Bitcoin.

As contas, juntamente com as do empresário Elon Musk, Warren Buffett, Jeff Bezos, Michael Bloomberg e até as empresas Apple e Uber, publicaram tuítes solicitando doações via Bitcoin.

“Todo mundo está me pedindo para retribuir, e agora é a hora”, disse o tuíte de Gates, prometendo dobrar todas as transações feitas em 30 minutos para um endereço de uma conta Bitcoin.

A emissora americana CNN reportou que um porta-voz de Bill Gates confirmou que o bilionário não é autor do tuíte em seu perfil.

Continua após a publicidade

Em resposta, a conta de suporte do Twitter publicou: “Estamos cientes de um incidente de segurança que afeta as contas no Twitter. Estamos investigando e tomando medidas para corrigi-lo. Atualizaremos todos em breve”.

“Eu vou retribuir para a comunidade. Todas as Bitcoins enviadas para o seguinte endereço serão dobradas! Se você mandar 1.000 dólares, vou mandar de volta 2.000 dólares. Só vou fazer isso por 30 minutos. Aproveitem!”, disse o tuíte publicado no perfil de Joe Biden.

Segundo a CNN, este é o maior incidente de segurança da história do Twitter. Além da preocupação com um golpe financeiro, um hack como este pode ter consequências devastadoras, porque muitos líderes mundiais usam a plataforma para anunciar importantes decisões políticas.

No ano passado, a conta do próprio CEO do Twitter, Jack Dorsey, foi invadida, mostrando que nenhuma conta é imune.

Continua após a publicidade

Após a publicação das postagens, uma conta de Bitcoin veiculada em algumas delas registrou mais de 300 transações, com um saldo total de mais de 57.000 dólares. Segundo o jornal britânico The Guardian, o saldo de outro endereço de uma “carteira” de Bitcoin cresceu mais de 100.000 à medida que a fraude se espalhava entre os milhares de seguidores dos figurões.

Publicidade