Clique e assine a partir de 9,90/mês

Biden ‘está contra Deus’, diz Trump em novos ataques ao rival

Presidente afirma que o democrata segue uma 'agenda radical da esquerda'; ex-vice-presidente afirmou que comentários são 'vergonhosos'

Por Da Redação - Atualizado em 7 ago 2020, 11h55 - Publicado em 7 ago 2020, 11h40

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a atacar seu adversário nas eleições presidenciais de novembro, o ex-vice-presidente Joe Biden. Desta vez, o republicano apelou para a religião. Trump afirmou que Biden está “contra Deus” e irá “machucar a Bíblia”.

Os comentários foram disparados em uma viagem ao estado de Ohio nesta sexta-feira, 7. Trump acusou Biden de seguir uma “agenda radical da esquerda”. Disse ainda que, caso eleito, o democrata “irá tomar suas armas e destruir a Segunda Emenda”, em referência ao artigo da Constituição que protege o direito da população à legitima defesa.

O republicano afirmou ainda que Biden irá governar “sem religião” e “machucar a Bíblia e Deus”. “Ele está contra Deus, ele está contra as armas, ele está contra a energia, o nosso tipo de energia”, completou.

ASSINE VEJA

A nova Guerra Fria Na edição desta semana: como a disputa entre Estados Unidos e China pode ser vantajosa para o Brasil. E mais: ‘Estou vivendo o inferno’, diz Marcelo Odebrecht
Clique e Assine

O democrata Joe Biden é católico e afirmou em diversos momentos que sua fé o ajudou a superar a morte de sua primeira esposa e de sua filha de um ano em 1972, em um acidente de carro. Já Trump se identifica como presbiteriano.

“Vergonhoso”, retrucou Biden. “Como para muitas pessoas, a fé é a pedra que sustenta minha vida e que proveu conforto em momentos de perda e tragédia”, disse. “E neste momento de trevas no nosso país – de dor, de divisão, e de doença para muitos americanos – minha fé tem sido uma luz que me guia, e um lembrete constante da dignidade e humanidade fundamental que Deus concedeu a todos nós”.

Biden também afirmou que Trump não é qualificado para assumir a Presidência, e que o presidente está longe de ter a dignidade que os americanos esperam de seus líderes.

Corrida para a Casa Branca

Com as eleições marcadas para menos de três meses, Trump se vê atualmente atrás nas pesquisas de intenção de voto. Os principais causadores da sua queda de popularidade foram a pandemia de Covid-19 e os protestos anti-racistas após a morte do afrodescendente George Floyd.

Segundo o site RealClearPolitics, que compila todas as pesquisas eleitorais, Biden está com 49% das intenções de votos e Trump com 42%.

Devido à pandemia de Covid-19, os estados vão decidir se irão adotar ou não os votos pelo correios. Trump é totalmente contra esse sistema. O presidente afirma, sem apresentar provas, que essa modalidade de votos é suscetível a fraudes.

Continua após a publicidade
Publicidade