Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bento XVI deve publicar documento para antecipar conclave

Porta-voz do Vaticano já havia adiantado que Igreja estudava essa possibilidade

Bento XVI estuda a possibilidade de publicar um “Motu Proprio” para redefinir alguns pontos da Constituição Apostólica e poder antecipar o conclave que elegerá o novo papa, disse nesta quarta-feira o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, em entrevista coletiva. A mudança no documento papal aprovado pelo seu antecessor permitiria aos cardeais a antecipação do conclave, após a renúncia de Bento XVI. No último sábado, Lombardi já havia adiantado essa possibilidade, uma vez que a Igreja está lidando com uma renúncia anunciada previamente, e não com uma súbita morte do pontífice.

De acordo com as regras da Igreja, seria necessário um período de 15 a 20 dias após o início da “Sé vacante” – quando a Igreja Católica fica sem seu principal representante – para que todas as autoridades que participam das eleições cheguem ao Vaticano. Mas, com o anúncio prévio do fim do pontificado de Bento XVI a partir de 1º de março, as autoridades do Vaticano já elaboram uma proposta que poderá ser avaliada pelos cardeais já no primeiro dia após a vacância papal. A revisão das regras se justifica pelo fato de que Bento XVI foi o primeiro papa a abdicar do cargo em 600 anos.

O conclave que escolherá seu sucessor terá a participação de cinco cardeais brasileiros com direito a voto: arcebispo emérito de São Paulo, dom Claudio Hummes, o atual presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB); dom Raymundo Damasceno, o prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, no Vaticano; dom João Braz de Aviz, o arcebispo de São Paulo; dom Odilo Pedro Scherer; e o arcebispo de Salvador e ex-presidente da CNBB, dom Geraldo Majella Agnelo.

Saiba mais:

‘A longo prazo, renúncia de Bento XVI fará bem à Igreja’

‘Bento XVI mudou a ideia do que é ser papa’, diz historiador

(Com agências EFE e Reuters)