Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Bem-vindos ao lar’, diz Obama a tropas de volta do Iraque

Presidente discursou em base militar e ressaltou que EUA devem aprender lições da guerra; últimos soldados voltam do país árabe até o final do mês

Em um discurso na base militar de Fort Bragg, no estado americano da Carolina do Norte, o presidente Barack Obama saudou nesta quarta-feira o fim da guerra no Iraque e disse que os Estados Unidos devem “aprender as lições” do conflito, afirmando ao mesmo tempo que houve “feitos extraordinários” em combate, durante um ato em homenagem aos combatentes.

Marcando o final da retirada das tropas dos Estados Unidos do país árabe, prevista para ser concluída até o final de dezembro, Obama deu as boas vindas aos soldados americanos. “Como seu comandante-em-chefe, e em nome de nossa grande nação, eu tenho orgulho de finalmente dizer essas palavras, e sei que suas famílias concordam comigo – bem-vindos ao lar, bem-vindos ao lar”, afirmou o presidente para uma plateia que respondeu com palmas e gritos de alegria.

“É mais difícil por fim a uma guerra do que começá-la”, declarou Obama. “Finalmente, tudo o que as tropas americanas fizeram no Iraque – combater e morrer, sangrar e construir, treinar e compartilhar – nos levou a este momento de sucesso”, disse o americano, que ressaltou os feitos dos Estados Unidos no país árabe. “Deixamos para trás um Iraque soberano, estável e auto-suficiente, com um governo representativo, eleito por seu povo”, afirmou Obama, cercado de boinas vermelhas da 82ª divisão aerotransportada.

“Estamos construindo uma nova associação entre os nossos países e pondo fim a uma guerra não com uma batalha final, mas com uma marcha final para casa. Isto é um feito extraordinário, gestado durante quase nove anos e hoje lembramos tudo o que vocês fizeram pra torná-lo possível”, acrescentou.

Obama lembrou ainda o “pesado custo” da guerra, mencionando os 4.500 soldados americanos mortos no Iraque. “Hoje fazemos uma pausa para rezar por todas as famílias que perderam um ente querido, porque todos são parte da nossa grande família americana”, afirmou.

Os Estados Unidos invadiram o Iraque no começo de 2003 – durante o governo do antecessor de Obama, George W. Bush – sob a alegação de que o então presidente daquele país, Saddam Hussein, tinha armas de destruição em massa que eram um perigo para a humanidade. As supostas armas nunca foram encontradas. Terminar o conflito, que se prolongou por quase nove anos, foi um dos principais compromissos de Obama durante sua campanha à Casa Branca.

(Com agência France-Presse)