Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Bélgica localiza 3 casas usadas para planejar ataques de Paris

Materiais para construção de bomba, explosivos e traços de DNA dos terroristas foram encontrados nas residências

Por Da Redação 13 jan 2016, 16h00

Autoridades belgas identificaram três casas que foram usadas para planejar os ataques de 13 de novembro em Paris. Matéria prima para bombas, balanças de precisão, explosivos e impressões digitais e traços do DNA dos terroristas foram encontrados nas residências, que foram alugadas em dinheiro e usando nomes falsos, informou o jornal americano The New York Times.

De acordo com a procuradoria belga, um apartamento na região norte de Bruxelas, uma casa na cidade de Auvelais e outro apartamento em Charleroi, cidade ao sul da capital, foram apontados como locais usados de refúgio pelos terroristas que planejaram os atentados que mataram 130 pessoas na capital francesa.

Leia mais:

Polícia belga encontra colete, explosivos e digital de Abdeslam

Bélgica prende seis pessoas por suspeita de ligação com ameaças terroristas

Continua após a publicidade

Bélgica reduz nível de alerta, mas ameaça ainda é “séria”

Em um apartamento no bairro de Schaerbeek, Bruxelas, os investigadores encontraram materiais para construção de bombas, uma balança de precisão e traços do explosivo TATP, usado nos coletes suicidas durante os ataques. Digitais e traços de DNA de dois terroristas também foram deixados no local; de Salah Abdeslam, que ainda está foragido, e de Bilal Hadfi, de 20 anos, que se explodiu nos arredores do Stade de France. Digitais de Hadfi também foram encontradas no apartamento na cidade de Charleroi, assim como de um dos principais organizadores dos ataques, Abdelhamid Abaaoud.

A investigação também encontrou conexões entre uma casa em Auvelais, cidade localizada no centro da Bélgica, e os terroristas. Ali foram encontrados somente colchões, mas com traços de DNA dos terroristas. Todas as residências foram alugadas no início de setembro, com nomes falsos, e foram pagas em dinheiro. Nenhuma arma foi deixada nas casas, que foram vasculhadas entre novembro e dezembro.

(Da redação)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês