Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bebê Charlie Gard morrerá antes de seu aniversário

Sem acordo entre pais de Charlie e hospital londrino, justiça britânica decide que aparelhos serão desligados

Por Da redação - Atualizado em 28 jul 2017, 15h02 - Publicado em 27 jul 2017, 18h53

A justiça britânica determinou nesta quinta-feira que o bebê  Charlie Gard  seja transferido para uma residência hospitalar para doentes terminais e, logo depois, que os tubos que o mantém vivo sejam desligados.  Com isso, a criança morrerá antes do seu aniversário (4 de agosto).

O bebê de 11 meses sofre de uma condição genética rara que causa danos cerebrais progressivos e fraqueza muscular. Ele permanece vivo graças a um equipamento de ventilação.

A decisão pôs fim a uma amarga disputa judicial contra o Hospital Great Ormond Street, em Londres. O casal Connie Yates Chris Gard lutava para que seu filho fosse mantido vivo com a ajuda de aparelhos e que fosse transferido para os Estados Unidos para ser submetido a um tratamento experimental. Entretanto, segundo os pais, a demora da Justiça britânica levou a danos irreversíveis em sua musculatura e dessa forma o tratamento experimental deixou de ser uma opção.

Assim, os pais de Charlie aceitaram que seus tubos poderiam ser desligados. O casal ainda lutou para que os últimos momentos do bebê fossem passados longe do hospital, porém, os médicos ingleses consideraram o pedido inviável. O último apelo de Connie Yates Chris Gard foi para que seu filho fosse mantido vivo até seu primeiro aniversário, no dia 4 de agosto. 

O juiz determinou que o casal teria até o meio-dia desta quinta-feira para entrar em acordo com o hospital Great Ormond Street. Como nenhuma negociação foi feita, a justiça britânica decidiu que o bebê será transferido para uma residência hospitalar onde seus aparelhos serão desligados antes do solicitado pelos pais.

(Com agência Reuters) 

Continua após a publicidade
Publicidade