Bashar Assad: ‘Trump será um aliado natural’

Em sua primeira reação após a vitória de Trump, Assad se mostrou cauteloso ao afirmar que o governo dos EUA não se restringe ao presidente

Por Da redação - Atualizado em 16 nov 2016, 16h48 - Publicado em 16 nov 2016, 08h29

O ditador da Síria, Bashar Assad, afirmou nesta terça-feira que o presidente eleito dos Estados Unidos, o republicano Donald Trump, será um “aliado natural” se cumprir suas promessas na luta contra o terrorismo. “Não podemos dizer nada sobre o que ele vai fazer, mas, se combater os terroristas, está claro que seremos aliados naturais, junto com os russos, os iranianos e muitos outros países que querem derrotar os terroristas”, disse.

Em sua primeira reação após a vitória de Trump na eleição presidencial americana, Assad se mostrou cauteloso ao afirmar que o governo dos EUA não se restringe ao presidente. “Há diferentes problemas que influenciam o mandato. Portanto, temos de esperar para ver o que fará ao assumir sua nova missão”, disse. “Temos esperança de que os EUA não sejam parciais, que respeitem o direito internacional, que não interfiram em outros países no mundo e, claro, que deixem de apoiar os terroristas na Síria”, completou.

Leia também
Trump nega problemas na transição, mas enfrenta atritos
Trump usou medo dos americanos para se eleger, diz Obama
Sírios recebem SMS: Alepo será bombardeada nas próximas 24 horas

O atual governo do presidente Barack Obama, que deixará o cargo no próximo dia 20 de janeiro, realizou inumeráveis esforços diplomáticos, por enquanto sem sucesso, para encontrar uma solução política com a Rússia e Assad para sobreviver à guerra civil da Síria, que foi iniciada há mais de cinco anos.

Agora o mundo espera como a chegada de Trump ao poder afetará o conflito. Durante sua campanha, o empresário expressou a intenção de manter uma relação “forte e duradoura” com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, após anos de tensões bilaterais.

Publicidade

(Com agência EFE)

Publicidade