Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bares, clube de strip e igrejas são responsáveis por novos surtos nos EUA

Ao menos 23 estados registraram aumento no número de novos casos na segunda-feira 21, com perspectivas de piora no sul e oeste do país

Por Julia Braun - Atualizado em 23 Jun 2020, 11h28 - Publicado em 23 Jun 2020, 11h22

Após meses de confinamento com centenas de novos casos de coronavírus em asilos, penitenciárias e frigoríficos, os Estados Unidos entram em uma nova e incerta fase da pandemia. Novos surtos da Covid-19 foram identificados em uma igreja pentecostal no Oregon, um clube de striptease no Wisconsin e um distrito de bares em Louisiana. E não é só isso: cassinos de Las Vegas e acampamentos de verão para crianças também estão na mira das autoridades como locais de ampla contaminação.

ASSINE VEJA

Acharam o Queiroz. E perto demais Leia nesta edição: como a prisão do ex-policial pode afetar o destino do governo Bolsonaro e, na cobertura sobre Covid-19, a estabilização do número de mortes no Brasil
Clique e Assine

Em uma comunidade rural de 27.000 habitantes a cerca de quatro horas de Portland, no Oregon, foram registrados apenas oito casos do vírus no início de junho. Em 20 de junho, a contagem havia aumentado para mais de 250. A maioria está ligada a um surto em uma igreja local, a Igreja Pentecostal Lighthouse.

Templos religiosos, que ficaram fechados por várias semanas durante a quarentena, voltaram a reabrir neste mês e se tornaram fontes de contaminação. Surtos foram registrados no Alabama, Kansas e Virgínia Ocidental. O governador republicano Jim Justice, de Virgínia Ocidental, disse que seis surtos ligados a igrejas foram identificados no estado, incluindo três que ainda estavam ativos na semana passada. Ele disse que não tinha planos de fechar os templos, descrevendo-os como “o local mais sagrado”.

Clubes de striptease em todo o país também chamaram a atenção das autoridades. Ao menos quatro casos foram relacionados a uma casa em Wisconsin Dells, no Wisconsin, e várias contaminações aconteceram em festas de fraternidades universitárias em Oxford, no Mississippi.

Continua após a publicidade

Na cidade de Baton Rouge, Louisiana, pelo menos 100 pessoas testaram positivo depois de visitar bares no distrito de vida noturna de Tigerland, popular entre estudantes universitários. Em um acampamento de verão cristão perto de Colorado Springs, no Colorado, pelo menos 11 funcionários adoeceram pouco antes da abertura da temporada, levando a organização a cancelar as pernoites pela primeira vez em 63 anos.

Em Las Vegas, apenas algumas semanas após a reabertura dos estabelecimentos, diversos funcionários de cassinos, restaurantes e hotéis testaram positivo. Os novos surtos – que variam em tamanho e surgiram tanto em cidades grandes como pequenas – refletem a imprevisibilidade do novo coronavírus. Também evidenciam os riscos de reabrir a economia enquanto as curvas de contágio ainda permanecem altas.

Ao menos 23 estados registraram aumento no número de novos casos diários na segunda-feira 21, com as perspectivas piorando em grande parte do sul e oeste do país. As hospitalizações por coronavírus atingiram seus níveis mais altos da pandemia no Arizona e no Texas. Missouri relatou o maior número de infecções diárias em um único dia no fim de semana.

Segundo o jornal The New York Times, os Estados Unidos observam, de certa forma, um retorno aos primeiros dias de pandemia, quando o coronavírus crescia de forma silenciosa e pequenos eventos como funerais e festas de aniversário se tornaram canais de transmissão. Asilos, penitenciárias e frigoríficos também ficaram na mira das autoridades sanitárias por semanas. Desta vez, os vilões são bares, casas noturnas e cassinos.

Publicidade