Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bangladesh: número de mortos em tragédia chega a 600

A lista de vítimas do desabamento do complexo têxtil não parou de crescer

Por Da Redação - 5 May 2013, 10h40

O desabamento de um complexo têxtil onde eram produzidas roupas para marcas internacionais já deixou pelo menos 610 mortos, informou uma fonte oficial do governo neste domingo. O porta-voz do Exército local, Shahinula Islam, confirmou o número de vítimas depois de afirmar que as equipes de resgate retiraram 38 corpos dos escombros só nas últimas horas. Um dos investigadores da tragédia já revelou que o desabamento pode ter sido provocado pela vibração de quatro enormes conjuntos de geradores instalados no telhado do edifício. Main Uddin Khandaker, funcionário do Ministério do Interior que comanda uma equipe de apuração do caso, disse que as máquinas violavam as regras de segurança. O desabamento em Savar, nos arredores de Daca, aconteceu no último dia 24. Mais de 2.400 pessoas ficaram feridas. Muitos ainda estão desaparecidos.

Leia também:

Leia também: Manifestantes protestam em Bangladesh após desabamento de prédio

Em decorrência da tragédia, o governo destituiu na última, quinta, por “negligência e inação”, o prefeito de Savar, Mohammed Refatula. Até o momento, a polícia já prendeu quase uma dezena de pessoas. Entre os detidos estão o dono do imóvel – ligado ao partido governante em Bangladesh -, vários proprietários de fábricas têxteis e engenheiros municipais, enquanto um empresário espanhol, David Mayor, está sob ordem de busca e captura. As autoridades também ordenaram o fechamento de outra fábrica têxtil, situada a 1,5 quilômetro do complexo que ruiu e onde trabalham milhares de empregados. A interdição ocorreu devido a rachaduras na estrutura. O desastre de Savar evidenciou as más condições de segurança em que trabalham os funcionários das fábricas têxteis no país asiático, que abastece várias multinacionais ocidentais.

Continua após a publicidade

(Com agência EFE)

Publicidade