Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Banco Mundial e FMI darão ajuda financeira aos rebeldes

Instituições reconheceram o Conselho Nacional de Transição como governo

Por Da Redação
13 set 2011, 12h04

O Banco Mundial anunciou nesta terça-feira que reconhece o Conselho Nacional de Transição (CNT) como governo da Líbia, e informou que está pronto para ajudar o país a se recuperar do conflito que o atingiu. A instituição multilateral também pretende, em colaboração com o Fundo Monetário Internacional (FMI), que anunciou seu reconhecimento na sexta-feira, “respaldar a preparação do orçamento e voltar a colocar de pé o setor bancário”.

Cronologia – Relembre os fatos marcantes da revolta líbia

Entenda o caso

  1. • A revolta teve início no dia 15 de fevereiro, quando 2.000 pessoas organizaram um protesto em Bengasi, cidade que viria a se tornar reduto da oposição.
  2. • No dia 27 de março, a Otan passa a controlar as operações no país, servindo de apoio às tropas insurgentes no confronto com as forças de segurança do ditador, que está no poder há 42 anos.
  3. • Após conquistar outras cidades estratégicas, de leste a oeste do país, os rebeldes conseguem tomar Trípoli, em 21 de agosto, e, dois dias depois, festejam a invasão ao quartel-general de Kadafi.
  4. • A caçada pelo coronel continua. Logo após ele divulgar uma mensagem em que diz que resistirá ‘até a vitória ou a morte’, os rebeldes ofereceram uma recompensa para quem o capturar – vivo ou morto.

Leia mais no Tema ‘Confrontos na Líbia’

“No momento em que a Líbia começa a se recuperar do conflito, foi pedido para o Banco Mundial liderar os esforços na área dos gastos públicos e da gestão financeira, na reparação de infraestruturas, na criação de empregos para os jovens e na concessão dos serviços públicos”, informou o Banco Mundial, em um comunicado divulgado nesta terça.

Continua após a publicidade

“Estamos prontos para apoiar o povo líbio”, indicou a diretora da instituição, Sri Mulyani Indrawati. “Nossos especialistas já começaram a coordenar com seus sócios no local”, acrescentou, citando a União Europeia, as Nações Unidas e os “sócios árabes”. “Foi pedido em particular ao Banco que identifique as necessidades de reparação e de reestruturação dos serviços de água potável, energia e transportes.”

O CNT derrubou em agosto o regime de Muamar Kadafi, que exerceu o poder na Líbia por 42 anos, após um conflito armado que começou em fevereiro. Em seu comunicado, o Banco Mundial afirma que reconheceu o CNT “levando em conta a evolução dos acontecimentos na Líbia e o ponto de vista dos países membros” do organismo.

(Com agência France-Presse)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.