Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aviões americanos ajudam em buscas por garotas sequestradas

França convoca reunião para o próximo sábado entre países africanos e potências para discutir o combate conjunto ao grupo terrorista Boko Haram

Aviões espiões dos Estados Unidos sobrevoavam nesta terça-feira o norte da Nigéria para ajudar a encontrar as mais de 200 adolescentes sequestradas em abril pelo grupo islamita Boko Haram. O anúncio das missões acontece em um momento de mobilização internacional, poucos dias antes de uma reunião convocada pela França para abordar o tema. “Compartilhamos imagens de satélites comerciais com os nigerianos e estamos efetuando voos tripulados de espionagem, vigilância e reconhecimento sobre a Nigéria com a autorização do governo do país”, disse uma fonte militar americana que pediu anonimato. O governo nigeriano aceitou a ajuda internacional oferecida por Washington, Londres e Paris, assim como por Israel e China.

Leia também

Vídeo mostra as meninas sequestradas por terroristas

‘Tenho medo de voltar para a escola’, diz estudante que escapou do Boko Haram

EUA podem usar drones na busca pelas meninas raptadas

Os especialistas americanos analisam de maneira minuciosa o vídeo do Boko Haram obtido na segunda-feira pela agência France-Presse, que mostra quase 130 adolescentes sequestradas, informou a diplomacia dos EUA. No total, 276 adolescentes foram sequestradas em 14 de abril em Chibok, no estado de Borno, no nordeste do país. Segundo as informações mais recentes, 223 continuam desaparecidas.

No vídeo divulgado na segunda-feira, o líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, exige a libertação dos “irmãos” combatentes das prisões nigerianas em troca da liberdade das adolescentes. Mas o governo ignorou a exigência. “Não cabe ao Boko Haram e a seus rebeldes impor suas condições”, disse o ministro nigeriano do Interior, Abba Moro, acrescentando que “não se trata de trocar uma pessoa pela outra”.

Em momento algum do vídeo, de 27 minutos de duração, Shekau aparece com as estudantes. O líder do Boko Haram, que em um primeiro momento anunciou a intenção de vender as adolescentes como “escravas”, afirmou que começou a converter as jovens ao islã, apesar de algumas “estarem aferradas a sua religião”.

Saiba mais

Boko Haram, o terror que ameaça a maior economia da África

Reunião em Paris – Paris receberá no sábado uma reunião regional para ajudar a Nigéria e os países vizinhos a enfrentar o Boko Haram. O presidente francês, François Hollande, receberá os governantes de pelo menos cinco países africanos – Nigéria, Chade, Camarões, Níger e Benin – e ampliou o convite a Estados Unidos e Grã-Bretanha para “um trabalho junto e eficaz”. Na capital francesa, duas ex-primeiras-damas, Carla Bruni-Sarkozy e Valérie Trierweiler, exigiram nesta terça, ao lado de outras personalidades, a libertação das jovens.

A rebelião do Boko Haram provocou milhares de mortes desde 2009. O grupo nigeriano islamita, que deseja a criação de um Estado islâmico, ampliou a área de atuação e cometeu recentemente ataques fora de seus redutos na região norte da Nigéria, de maioria muçulmana.

Vítima reconhecida – A mãe de uma estudante sequestrada na Nigéria identificou a filha no vídeo divulgado pelos rebeldes islâmicos, afirmou nesta terça um representante dos familiares das vítimas. A mãe viu o vídeo na televisão na noite de segunda-feira e reparou que sua filha estava entre as meninas sentadas no chão e usando véus, de acordo com Dumoma Mpur, presidente da associação de pais e professores da escola secundária no vilarejo de Chibok, de onde as meninas foram levadas, no nordeste da Nigéria.

(Com agências Reuters e France-Presse)