Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Avião para 100 passageiros decolou do Afeganistão com mais de 600

Retrato de voo militar abarrotado se destacou em meio às diversas cenas de caos e desespero que circularam após a tomada de Cabul pelo Talibã

Por Da Redação 17 ago 2021, 11h46

Em meio às diversas cenas de caos e desespero que circularam após a tomada da capital do Afeganistão pelo Talibã, um retrato de um voo abarrotado se destacou. Um avião militar americano C-17 Globemaster III decolou com 640 pessoas a bordo no domingo, 15, mesmo com capacidade indicada de pouco mais de cem passageiros.

Ao portal Defense One, um funcionário da Defesa dos Estados Unidos afirmou sob condição de anonimato que não era previsto que a aeronave levasse tantas pessoas. No entanto, afegãos se atiraram na rampa entreaberta para entrar no veículo, tentando uma saída do país.

Ainda de acordo com o portal, a decisão de decolar, ao invés de tentar retirar as pessoas que invadiram, foi da própria tripulação.  Saído de Cabul poucas horas depois do retorno do grupo extremista ao poder, o voo pousou no Catar depois de cerca de duas horas.

O aeroporto do capital, maior do país, tem sido o principal ponto de tentativas de fuga, deixando mortos e diversos feridos. A correria começou poucas horas depois de a capital ser tomada pelo Talibã, o que provocou o colapso do governo e a fuga do presidente Ashraf Ghani. Em meio à crise, os Estados Unidos aprovaram o envio de reforços militares ao país para auxiliar na segurança do aeroporto internacional de Cabul e na evacuação do pessoal da embaixada dos EUA e dos afegãos que estão deixando o país.

Vídeos nas redes sociais mostram a multidão, entre elas muitas famílias, andando pelas pistas, em meio a veículos militares e aviões. Centenas de pessoas tentavam entrar à força nos aviões que saíam da capital afegã. Algumas das imagens mostram jovens se agarrando a escadas para tentar embarcar em uma aeronave.

As tropas americanas que patrulhavam o aeroporto atiraram para o alto para tentar controlar a situação. Ainda não está claro se as vítimas foram mortas a tiros ou pisoteadas em meio à confusão.

Continua após a publicidade

Com as situação caótica, a autoridade aeroportuária anunciou o cancelamento dos voos comerciais e apenas viagens militares ocorrem no local. “Por favor, não venha para o aeroporto”, disse uma autoridade.

Mais de 60 países, incluindo EUA, Alemanha, Japão e França, publicaram um comunicado em que fazem um apelo para que cidadãos afegãos e estrangeiros tenham permissão para deixar o Afeganistão em segurança.

Na segunda-feira, a chanceler alemã, Angela Merkel, anunciou uma operação para retirar com urgência cerca de 10.000 pessoas que estão sob responsabilidade alemã no país.

Já nesta terça, os EUA retomaram voos militares em Cabul, após interrupção devido aos tumultos. Segundo o porta-voz do Pentágono, John Kirby, o compromisso de Washington é  completar a retirada de americanos e colaboradores afegãos de “maneira segura e ordenada” e indicou que as tropas dos EUA têm capacidade para retirar do Afeganistão de 5 mil a 9 mil pessoas por dia.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)