Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Australiano é preso por obrigar filha de 12 anos a se casar

O homem não queria que a menina tivesse relações sexuais fora do casamento, que considerava pecado

Um australiano foi sentenciado a oito anos de prisão por arranjar um casamento islâmico entre sua filha de 12 anos e um homem com o dobro da idade da menina. O pai alega que permitiu que o libanês de 26 anos se casasse com a menina para impedir que ela tivesse relações sexuais fora do matrimônio.

A Justiça australiana condenou o homem de 63 anos por incentivar um menor de 14 anos a atividade sexual ilegal. Durante a leitura da sentença em Sydney, a juíza responsável pelo caso afirmou que o pai da adolescente, que não foi identificado para a proteção da menina, “falhou” com sua filha. Ela afirmou também que crenças religiosas não justificam as ações do pai e que a punição agiria como impedimento para outros casos semelhantes.

Leia também:

Afegã é induzida a se casar com seu estuprador

Mulher é morta por se casar contra a vontade da família

Mulher é condenada à forca por ter se casado com cristão

O pai afirmou à corte responsável por seu caso que considerava sexo fora do casamento um pecado, por isso, assim que sua filha atingiu a puberdade, ele decidiu que a menina deveria se casar. Quando o libanês, que estava na Austrália com visto de estudante, demostrou interesse, ele escalou um sheik local para conduzir a cerimônia, que aconteceu no ano passado.

O casamento, que não é reconhecido pela lei australiana, foi consumado em um hotel na noite da cerimônia, com a permissão do pai, afirma a rede de televisão BBC. A justiça australiana afirma que, mais tarde, a menina sofreu um aborto. As autoridades locais assumiram os cuidados da adolescente.

(Da redação)