Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Australiana perde parentes nos dois desastres da Malaysia Airlines

Kaylene Mann havia perdido o irmão e a cunhada em março; desta vez enteada morreu após aeronave da companhia aérea ser derrubada sobre a Ucrânia

Kaylene Mann, uma australiana que havia perdido o irmão e a cunhada no voo MH370 da Malaysia Airlines, que desapareceu no Oceano índico em março, soube nesta sexta-feira que sua enteada viajava no voo MH17, da mesma companhia área, quando a aeronave foi abatida por um míssil no leste da Ucrânia. O desastre provocou a morte de todas as 298 pessoas a bordo.

A enteada de Mann, Maree Rizk e o marido dela, Albert, estavam voltando Melbourne após um período de quatro semanas de férias na Europa quando ocorreu a tragédia. No total, 27 australianos morreram na queda do MH17.

“Isso trouxe tudo de volta”, disse Greg Burrows, outro irmão de Kaylene, à agência Associated Press. “Ela acabou de perder um irmão, e agora uma enteada…”, disse. Burrows afirmou ainda que apesar de tudo a família “não tem ressentimentos em relação à Malaysia Airlines”. “Ninguém poderia prever este [acidente] e nada está provado sobre o primeiro”, disse, acrescentando que “ainda estamos esperando por respostas em relação ao primeiro acidente”.

Leia mais:

Maioria dos passageiros era de origem holandesa

Telefonemas provam envolvimento russo, diz Ucrânia

O sistema de mísseis por trás da derrubada do voo MH-17

Em março, Kaylene apareceu em diversos encontros promovidos pela Malaysia Airlines em busca de informações sobre seu irmão Rod Burrows, e sua cunhada, Mary Burrows, que estavam no voo MH370 quando a aeronave desapareceu misteriosamente.

Local da queda do avião na Ucrânia