Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Ativistas pró-aborto usam drones para enviar pílulas do dia seguinte à Polônia

ONGs alemãs, holandesas e polonesas organizam protesto para denunciar a dificuldade que mulheres polonesas enfrentam para fazer aborto

Por Da Redação 27 jun 2015, 14h14

Representantes de ONGs holandesas, alemãs e polonesas usaram a inusitada tática, neste sábado, para denunciar as barreiras que a Polônia impõe às mulheres que querem fazer aborto: drones levaram pílulas do dia seguinte ao país.

O pequeno aparelho partiu da cidade alemã de Frankfurt, cruzou o rio que delimita a fronteira entre os dois países, e aterrissou na cidade polonesa de Slubice.

A ação foi organizada pela ONG holandesa Women on Waves, conhecida por fazer abortos em um navio-clínica ancorado em águas internacionais. Essa localização marítima permite que os médicos não desrespeitem a lei local dos países que proíbem a operação.

“A atual e restritiva lei do aborto polonesa gera injustiça social e afeta especialmente as mulheres sem recursos econômicos e informação”, denunciaram as ONGs, em um comunicado. A legislação da Polônia permite abortar se há risco para a vida ou a saúde da mãe, se a gravidez é resultado de estupro ou se o feto apresenta graves más-formações. Segundo as ONGs, porém, muitos médicos se negam a fazer a operação, mesmo diante dessas possibilidades.

As organizadoras do protesto disseram que a polícia alemã confiscou os controles do drone.

(Com Agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade