Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ativistas do Greenpeace transferidos para São Petersburgo

Os 30 tripulantes do barco Arctic Sunrise são acusados de vandalismo. Não há data marcada para o julgamento

Por Da Redação 11 nov 2013, 06h51

Os 30 tripulantes de um barco do Greenpeace, incluindo a bióloga brasileira Ana Paula Maciel, detidos na Rússia por protestar em uma plataforma de petróleo no Ártico foram transferidos de Murmansk para São Petersburgo, anunciou a organização ecológica nesta segunda-feira. Os ativistas deixaram o centro de detenção de Murmansk, no Ártico, às 5h00 locais (23h00 de Brasília) e foram de trem para São Petersburgo, no oeste da Rússia, informou Dannielle Taaffe, porta-voz do Greenpeace.

O Comitê de Investigação da justiça russa confirmou a transferência e explicou que o caso dos 30 detidos, acusados de vandalismo, depende da jurisdição de São Petersburgo. A Justiça russa ainda não definiu uma data para o julgamento dos ativistas. Os tripulantes do barco Arctic Sunrise do Greenpeace, de dezoito nacionalidades diferentes, foram detidos em setembro e levados para Murmansk, noroeste da Rússia.

Leia também

Greenpeace protesta com lanchas em Moscou

Integrante do Pussy Riot é transferida para a Sibéria

“vandalismo”

Protesto em Moscou – Na quarta-feira, ativistas do Greenpeace usaram lanchas para protestar pedindo a liberdade dos 30 tripulantes do Arctic Sunrise detidos. Eles navegaram pelo rio Moscova, na capital russa, e passaram bem próximos do Kremlin. “A ação ocorreu sem incidentes e detenções”, disse Jalimat Tekéyeva, porta-voz do Greenpeace.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade