Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ativista chinês afirma que quer se mudar para os Estados Unidos

Chen Guangcheng conversou com parlamentares americanos por telefone

O militante cego chinês Chen Guangcheng expressou, nesta sexta-feira (quinta-feira, no horário de Brasília), seu desejo de se mudar para os Estados Unidos, afirmou a rede CNN. O governo americano já havia dito que poderia ajudar o ativista a sair da China.

De acordo com a CNN, o advogado conversou, por telefone, com membros de uma comissão de parlamentares americanos. “A China alegou que garantiria meus direitos constitucionais e disse que eu era um homem livre”, disse o dissidente, “e eu quero que eles mantenham o compromisso permitindo que eu viaje para o exterior”.

Guangcheng disse ainda que deseja se encontrar com a secretária de estado americana, Hillary Clinton, “para agradecê-la pessoalmente”. Apesar das declarações afetuosas do dissidente, o caso causou embaraço durante encontro entre Pequim e Washington – o presidente chinês Hu Jintao chegou a pedir ‘respeito mútuo’ no diálogo.

Leia também:

Leia também: Ativista chinês apela a Obama para conseguir sair da China

Caso – Chen escapou, na semana passada, da prisão domiciliar, na província de Shandong, se refugiou na embaixada americana e, após negociações entre EUA e China, está em um hospital de Pequim.

Pelo acordo, o governo chinês deu garantias de que Chen poderia reunir-se com sua família, começar com normalidade uma nova vida fora de Shandong e realizar estudos universitários. Os EUA se comprometeram a seguir atentos à situação do defensor de direitos humanos.

Segundo Washington, Chen abandonou a embaixada por vontade própria e, em nenhum momento, pediu asilo político ou manifestou desejo de abandonar seu país. Porém, o dissidente declarou que funcionários americanos lhe avisaram que, se não aceitasse a saída, as autoridades chinesas haviam declarado que sua família, que tinha sido transferida a Pequim, teria que retornar a Shandong.