Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Atirador que matou policial nos EUA é indiciado por terrorismo

Eric Frein admitiu que crimes tinham objetivo político

Eric Frein, o americano que em setembro matou um policial e feriu outro num ataque, vai enfrentar duas acusações de terrorismo depois de confessar ter cometido os crimes com o propósito de mudar a política do governo e “despertar” as pessoas.

Frein, de 31 anos, foi capturado em 30 de outubro após ficar 48 dias escondido nas florestas da Pensilvânia. Na época, o FBI chegou a colocá-lo na lista dos dez homens mais procurados do país.

Leia também:

“Não sei se foi a melhor ou pior coisa que fiz”, diz ex-Seal que matou Bin Laden

Ele foi imediatamente acusado de assassinato e tentativa de assassinato, e agora também responderá por duas acusações de terrorismo.

Frein pode ser condenado à morte. Ele está preso, sem direito à fiança. Sua próxima audiência nos tribunais será no dia 9 de dezembro.

Saiba mais:

Entenda como funcionam as listas de procurados do FBI

Ele é acusado de matar o capitão Bryon Dickson no dia 12 de setembro e de ferir outro agente em uma emboscada nos arredores do distrito policial de Blooming Grove, na Pensilvânia.

Frein é especializado em sobrevivência e táticas de guerra e conseguiu se esconder dos agentes por mais de seis semanas. O FBI chegou a oferecer uma recompensa de US$ 175.000 por qualquer pista que levasse a Frein.

(Com agência EFE)