Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Atiradora deixa 3 mortos em centro de distribuição em Maryland

Funcionária temporária do local cometeu suicídio ao dar um tiro na própria cabeça; 3 pessoas também ficaram feridas

Por Da Redação
Atualizado em 20 set 2018, 16h57 - Publicado em 20 set 2018, 12h59

Uma atiradora invadiu um centro de distribuição no Condado de Harford, em Maryland, nos Estados Unidos, e matou três pessoas e deixou outras três feridas, segundo a polícia local.

Segundo o xerife de Harford, Jeff Gahler, a suspeita, uma funcionária temporária no centro de distribuição cuja identidade ele não quis divulgar, cometeu suicídio ao dar um tiro na própria cabeça.

O incidente aconteceu no centro de apoio da rede de farmácias Rite Aid, próximo à cidade de Aberdeen. Segundo afirmou uma porta-voz da empresa à rede de televisão CNN, ao menos 1.000 funcionários trabalham no local.

A polícia local reportou o tiroteio por volta das 9h do horário local (10h em Brasília). Os oficiais pediram que os moradores evitassem a área onde os disparos foram ouvidos.

David Graf, um empresário local, disse que a polícia “bloqueou toda a área”. “Não conseguimos entrar nem sair. Tivemos nossos negócios bloqueados, por isso ficamos fechados. Não há como sair dessa a área”.

Ainda não há informação oficial sobre as motivações do ataque. Agentes do FBI e do Escritório de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos dos Estados Unidos estão investigando o ocorrido.

No Twitter, o governador de Maryland, Larry Hogan, descreveu o incidente como um “tiroteio horrível”. “Nossas orações estão com todos os envolvidos, incluindo os oficiais de socorro”, escreveu.

Continua após a publicidade

O incidente é o mais recente de uma onda de violência armada que atinge escolas e locais de trabalho nos Estados Unidos. Ataques cometidos por mulheres são extremamente raros, e representam menos de 5% do total registrado, de acordo com autoridades policiais e acadêmicos.

O ataque desta quinta-feira ocorreu cinco meses depois que uma ativista dos direitos dos animais, nascida no Irã, matou três pessoas antes de se matar na sede do YouTube na Califórnia.

Maryland teve manchetes sombrias em em junho, quando cinco funcionários do jornal Capital-Gazette morreram depois que um atirador invadiu a redação em Annapolis.

O homem que, segundo a polícia, foi responsável pelo massacre, perseguiu os funcionários do jornal durante anos por causa de um artigo sobre acusações criminais contra ele.

Continua após a publicidade

(Com AFP)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.