Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Atirador chega a tribunal dos EUA com cabelos vermelhos

James Holmes permanecia isolado até então, a fim de ter segurança preservada

James Holmes – suspeito de ter matado 12 pessoas durante uma estreia do filme Batman: o Cavaleiro das Trevas ressurge, na última sexta-feira – compareceu pela primeira vez ante um tribunal americano nesta segunda. O jovem, de 24 anos, chegou ao local com os cabelos tingidos de vermelho, e o juiz leu para ele os documentos judiciais. Holmes foi preso sem resistência no estacionamento do cinema em que ocorreu o ataque, acusado de ter disparado contra o público.

Segundo a polícia, ele permanecia isolado até então, a fim de preservar sua segurança. Durante a audiência, Holmes não pronunciou uma só palavra e passou a maior parte do tempo olhando para baixo. Ele não será indiciado nesta segunda-feira e deve voltar ao tribunal no início da próxima semana, quando será formalmente acusado. Os promotores consideram pedir a pena de morte para o réu, mas tal decisão ainda não foi tomada.

Leia também:

Leia também: Saiba quem são as 12 vítimas de ataque no Colorado

Mais cedo, imagens da rede de televisão americana ABC News mostraram Holmes enquanto apresentava um trabalho na feira de ciência de um colégio em San Diego. No vídeo, ele tinha 18 anos e acabara de se formar no ensino médio. Em sua apresentação, Holmes discorria sobre o tema “ilusões temporais”, que seriam técnicas que permitem às pessoas mudarem as lembranças de seu passado. Ele parecia nervoso, mas demonstrava ser inteligente. No final do vídeo, surge uma mulher não identificada que faz uma breve apresentação sobre o jovem. Segundo ela, os objetivos de Holmes seriam “tornar-se um pesquisador e fazer descobertas científicas”.

Holmes era considerado uma pessoa solitária. Não tinha perfis em redes sociais, como Facebook ou Twitter. O FBI o descreveu como um homem branco, de 1,90 metro de altura, nascido em 13 de dezembro de 1987, sem antecedentes criminais ou vínculo com grupos terroristas. O único registro policial em seu histórico foi por excesso de velocidade em 2011.

Assista ao vídeo da rede ABC News, em inglês:

Leia também:

Leia também: ‘Vestido de Coringa’, atirador diz ser personagem de Batman

Histórico – O jovem chegou a San Diego em 2005 com os pais, Robert e Arlene Holmes, e estudou na Westview High School. Anos depois foi aceito na Universidade da Califórnia, em Riverside, onde cursou Neurociências e se formou em 2010. Holmes retornou para San Diego, mas não conseguiu emprego em sua área de atuação.

Tom Mai, vizinho da família de Holmes, afirmou ao jornal Denver Post que ele trabalhou no McDonalds em meio período por cerca de um ano. Mai afirma que ele era um adolescente tímido, que não brincava nem se relacionava com outros jovens do bairro. “Ele era muito gentil com os meus filhos”, acrescentou.

No ano passado, o jovem se matriculou no programa de pós-graduação em neurociências no campus de Denver, da Universidade de Colorado. No último ciclo de estudos, fez o curso “Bases biológicas dos transtornos psiquiátricos e neurológicos”. Segundo um professor, que se manifestou sob a condição de anonimato, ele teve um desempenho fraco no último semestre e estava se desligando da universidade.

Leia também: Jovem morta por atirador tinha sobrevivido a outro ataque

Armas – Segundo o canal de TV NBC, Holmes começou a comprar armas legalmente em maio, embora ainda estejam sendo investigados o lugar e as datas das compras. Ele portava dois revólveres Glock de calibre 40, dos quais pelo menos um foi usado durante o ataque, além de uma espingarda Remington 870, um dos modelos mais populares nos Estados Unidos, e um fuzil Smith & Wesson do tipo AR-15.

O chefe de polícia da cidade de Aurora, Don Oates, contou em uma coletiva de imprensa na sexta-feira que Holmes comprou nos últimos 60 dias quatro pistolas em uma loja local e, através da internet, adquiriu “mais de 6.000 munições”, sendo 3.000 balas calibre 22 para uma espingarda, 3.000 de calibre 40 para as duas pistolas Glock e 300 para uma escopeta calibre 12. Oates acrescentou que o atirador adquiriu todo o armamento legalmente.

Leia também: Os ataques mais violentos dos EUA nos últimos 20 anos