Clique e assine a partir de 9,90/mês

Atentados deixam mais de 40 mortos no Iraque

Milhares de peregrinos xiitas celebravam festa religiosa em Bagdá

Por Da Redação - 7 jul 2010, 20h05

Ataques terroristas mataram pelo menos 40 pessoas e feriram outras 90 nesta quarta-feira, apesar do forte esquema de segurança.

Em um deles, uma explosão suicida ocorreu durante uma celebração religiosa em que dezenas de milhares de peregrinos xiitas celebravam a morte de um santo do século 8. O atentado suicida foi próximo a uma ponte onde, em 2005, cerca de mil xiitas morreram em um tumulto ocorrido por causa de rumores sobre uma bomba no local.

No bairro de Nova Bagdá, em outra região da cidade, uma bomba foi deixada sobre a calçada.

Autoridades iraquianas atribuem onda de ataques a extremistas sunitas interessados em explorar o vazio de poder. O terroristas querem desestabilizar o país em um momento que os Estados Unidos preparam-se para iniciar a retirada de suas tropas.

Proteger a festividade desta quarta-feira seria um teste importante para as forças de segurança do governo do Iraque. Horas antes da explosão suicida, o general Ahmed al Saedi, comandante da Sexta Divisão do Exército Iraquiano, havia declarado: “prevemos que os grupos terroristas lancem ataques terroristas contra peregrinos durante as próximas horas, mas nossos planos de contingência vão impedir seus atos viciosos”.

As autoridades mobilizaram 200 mil soldados e policiais para proteger o acesso dos peregrinos à mesquita do imã Moussa al Kadhim. Para dificultar ataques, motos e bicicletas foram proibidas na cidade. Helicópteros militares pairavam sobre a cúpula dourada da mesquita e franco-atiradores instalados em telhados do bairro usavam binóculos para monitorar a multidão.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade