Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Atentado suicida mata três policiais no Afeganistão

Por Shah Marai 10 nov 2011, 15h22

Três policiais afegãos morreram e três soldados da Otan ficaram feridos, esta quinta-feira, no leste do Afeganistão, em um atentado suicida seguido de um ataque dos talibãs contra um edifício oficial, anunciaram as autoridades locais e a Otan.

Os insurgentes islamitas reivindicaram a autoria do ataque, em mensagem enviada à AFP por Zabihullah Mujahid, um de seus porta-vozes.

O ataque tinha como alvo a sede da administração do distrito de Chamkani, na província de Paktia.

Notáveis locais discutiam a futura ‘Loya Jirga’ (assembleia tradicional), prevista para meados de novembro, em Cabul, para definir uma nova estratégia de negociações de paz com os talibãs, segundo Rohullah Samoon, porta-voz do governo da província.

“Havia quatro atacantes, um deles fez explodir seu carro-bomba em frente à sede da administração distrital e os outros três entraram. Todos foram mortos”, declarou Samoon à AFP.

Continua após a publicidade

“Agora os combates terminaram”, acrescentou duas horas depois de iniciado o ataque. “Três policiais foram mortos e o chefe da polícia distrital ficou ferido” levemente, acrescentou.

Três militares americanos da Otan ficaram feridos, aparentemente na explosão inicial, segundo um porta-voz do Comando Regional Leste da Isaf, segundo o qual os atacantes estavam armados com fuzis de assalto e lança-foguetes.

Um helicóptero da Otan destruiu uma mesquita perto dali, depois de ter sido alvo de disparos de metralhadora feitos do edifício e de ter recebido a autorização do vice-governador da província, acrescentou o porta-voz.

O vice-governador de Paktia, Abdul Rahman Mangal, desmentiu ter dado esta autorização e afirmou à AFP que a mesquisa foi destruída por outro camicase.

Os talibãs que enfrentam o governo de Cabul e seus aliados da Otan desde que foram expulsos do poder, no fim de 2001, têm rejeitado oficialmente toda negociação de paz diante da partida de 140.000 militares estrangeiros no Afeganistão.

Continua após a publicidade
Publicidade