Clique e assine a partir de 8,90/mês

Atentado contra policiais mata ao menos oito na Turquia

Ataque pode ter sido obra do grupo armado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que luta por independência

Por Da Redação - 18 out 2011, 17h01

Pelo menos cinco militares e três civis morreram nesta terça-feira na explosão de uma mina na província de Bitlis, no sudeste da Turquia, informaram os meios de comunicação turcos. A detonação, que também feriu dez pessoas, aconteceu durante a passagem de um veículo policial, indicaram fontes oficiais ao canal de televisão NTV.

O Exército iniciou uma operação no local para tentar localizar os autores do ataque, que poderiam ser membros do grupo armado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), muito ativo na região. Segundo a agência de notícias privada DHA, um dos civis mortos é uma menina de dois anos, que morreu junto com seu pai.

Ainda nesta terça-feira, a agência de notícias estatal Anadolu informou que outra explosão na passagem de um veículo militar na província de Hakkari, na fronteira com o Iraque, vitimou um soldado. Além disso, aconteceu na província sudeste de Mardin uma operação policial contra o KCK, o braço urbano do PKK, durante a qual foram presas 22 pessoas, inclusive um ex-prefeito e vários políticos eleitos ligados à principal formação política curda, o Partido da Paz e Democracia (BDP).

Contexto – Nos últimos meses, o PKK aumentou seus ataques contra alvos turcos e 70 membros das forças de segurança, mais de uma dúzia de civis e um grande número de militantes curdos morreram nos combates.

O PKK – organização considerada terrorista por Turquia, União Europeia e Estados Unidos – pegou em armas em 1984 para reivindicar a independência dos mais de 12 milhões de curdos que vivem na Turquia e, desde então, 45.000 pessoas morreram na guerra não-declarada entre o estado turco e os rebeldes curdos.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade