Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Atentado contra líder separatista de Quebec deixa um morto

Homem abriu fogo durante as celebrações pela vitória de Pauline Marois nas eleições legislativas da província. Disparos também deixaram uma pessoa ferida

Uma pessoa morreu e outra foi gravemente ferida em Montreal, no Canadá, quando um homem, identificado mais tarde pelas autoridades como Richard Henry Bain, abriu fogo durante o discurso de vitória da líder do Partido Quebequense (PQ), Pauline Marois, pouco após seu triunfo nas eleições legislativas realizadas na terça-feira na província de Quebec.

Um porta-voz da policia informou que o atirador efetuou dois disparos e iniciou um incêndio na parte de trás do complexo onde os partidários do PQ celebravam a vitória.

O atentando aconteceu quando a separatista Marois, que se tornará a primeira mulher a comandar o Quebec, discursava para centenas de pessoas. Após os tiros, a política de 63 anos foi retirada às pressas do palanque pelos seus seguranças. Marois não sofreu nenhum ferimento. Momentos mais tarde, ela voltou ao microfone e pediu para que todos deixassem o local com calma.

As autoridades prenderam um suspeito de 50 anos no lado de fora do pavilhão. Imagens da televisão canadense mostraram um policial recolhendo um rifle do chão. Testemunhas relatam que no momento dos disparos o atirador gritou em francês: “Os ingleses estão despertando”.

Secessão – O Partido Quebequense defende a separação de Quebec, onde se fala o francês, do resto do país, cuja língua oficial é o inglês. Nos últimos nove anos, a província foi governada pelo partido federalista Liberal, do primeiro-ministro regional Jean Charest. Em administrações anteriores, o PQ já promoveu dois referendos sobre a secessão, em 1980 e 1995, e nas duas oportunidades a população escolheu continuar parte do Canadá.

Vídeo mostra momento em que Pauline Morais é retirada do local pelos seguranças:

(Com agência EFE)