Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Atentado com carro-bomba em Alepo mata 3 e fere 27

Explosão em bairro residencial acontece um dia após ataque a Damasco

Um atentado com carro-bomba sacudiu neste domingo Alepo, a segunda maior cidade da Síria, e deixou três mortos e 27 feridos, informou o opositor Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH). A explosão aconteceu atrás do prédio do correio em Suleimaniyeh, entre dois edifícios residenciais.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março para protestar contra o regime de Bashar Assad, no poder há 11 anos.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram mais de 9.400 pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

“O atentado com carro-bomba aconteceu no bairro de Suleimaniyeh, em Alepo, perto da sede da segurança política”, afirma uma nota da organização com sede na Grã-Bretanha. No sábado, dois ataques com carro-bomba, atribuídos pelas autoridades sírias a “terroristas”, deixaram 27 mortos e 140 feridos em Damasco.

Desde o fim de dezembro, vários atentados deixaram dezenas de mortos na Síria, especialmente em Damasco e em Alepo, na região norte. O regime de Bashar Assad e os militantes da oposição trocam acusações sobre a responsabilidade dos ataques.

O OSDH também informou que as tropas do governo executavam neste domingo operações militares em muitas províncias do país, onde manifestantes saíram às ruas para exigir a saída de Assad. Ações militares com tanques e veículos de tropas aconteceram em Jabal al-Zawiya, na província de Idleb (noroeste). Na mesma região, uma grande manifestação acontecia na cidade de Habit.

Protestos – Em Damasco, uma passeata reuniu centenas de pessoas. As forças oficiais e as milícias ligadas ao regime agrediram Mohammed Sayyed Rassas, dirigente do Comitê de Coordenação para a Mudança Nacional e Democrático (CCMND), segundo o OSDH.

Rassas foi detido ao lado de vários jovens que participavam na manifestação organizada pelo CCMND, que reúne partidos nacionalistas árabes, curdos, socialistas e marxistas, assim como personalidades independentes. Confrontos também foram registrados em Artuz, Atareb e Aazaz, assim como em Deir Ezzor.

(Com agência France-Presse)