Ataques contra exército e polícia no Iraque deixam pelo menos 20 mortos

Dois ataques coordenados foram feitos durante um jantar em que havia militares e policiais

Por Da Redação - 30 out 2013, 07h13

Pelo menos 20 pessoas morreram nas últimas 24 horas, a maioria membros das forças de segurança, e 44 ficaram feridas em ataques no Iraque, informaram nesta quarta-feira fontes policiais iraquianas. Um terrorista suicida disfarçado de soldado explodiu um cinto com explosivos junto a seu corpo na fazenda de um dirigente do Conselho da Salvação – milícia tribal sunita pró-governo – em Tarmiya, a 40 quilômetros ao norte do Bagdá.

Minutos depois, um segundo terrorista detonou outra bomba no mesmo lugar, onde acontecia um jantar com a presença de militares e policiais. Um coronel do Exército, sete de seus seguranças, três agentes e três milicianos de um Conselho de Salvação, entre eles o dono da fazenda, morreram no duplo atentado, que deixou ainda 14 feridos.

Leia também

Explosão de dez carros-bomba mata pelo menos 37 em Bagdá

Publicidade

Ataque com micro-ônibus em Bagdá deixa pelo menos 38 mortos

Na aldeia de Al Maula, na província de Ninawa, ao norte do Iraque, pelo menos seis pessoas morreram, entre eles três policiais, e 20 ficaram feridas pela explosão de um caminhão-bomba. O veículo, conduzido por um terrorista suicida, foi detonado quando a polícia abriu fogo ao notar que o caminhão se aproximava em grande velocidade contra uma delegacia.

Recorrência – O terrorismo e a violência religiosa aumentaram no Iraque nestes últimos meses, os mais mortíferos em cinco anos, com ataques frequentes contra os soldados de segurança e o Exército, e contra a comunidade xiita. No último domingo, a explosão de dez carros-bomba em bairros xiitas de Bagdá matou pelo menos 37 pessoas e deixou dezenas de feridos. Também no domingo, um homem-bomba atacou soldados que esperavam em uma fila para receber seus salários no norte do Iraque, provocando a morte de pelo menos 12 pessoas.

(Com agências EFE e AFP)

Publicidade