Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ataques aéreos deixam 26 civis mortos no nordeste da Síria

Coalização antiterror teria bombardeado também um acampamento do Exército sírio no domingo. Estados Unidos negam

Por Da Redação 7 dez 2015, 19h03

Pelo menos 26 civis morreram nesta segunda-feira em bombardeios contra uma localidade no nordeste da Síria, aparentemente em ataques da coalizão liderada pelos Estados Unidos, anunciou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH). Entre as vítimas, há sete crianças e quatro mulheres, segundo o balanço do OSDH, e o número deve subir à medida em que forem encontrados corpos sob os escombros.

“Os ataques foram contra o povoado de Al-Khan, que ainda está nas mãos do grupo Estado Islâmico”, disse o presidente do OSDH, Abdel Rahman. “Mas o Daesh (acrônimo em árabe do EI) está presente apenas nos arredores do povoado, o que explica que todas as vítimas sejam civis”, acrescentou.

Al-Khan fica perto da cidade de Al-Hol, na província de Hasake, no nordeste do país, que foi recuperada no mês passado das mãos dos extremistas do EI por parte das forças curdas e de rebeldes árabes.

Um porta-voz da Central de Comando dos EUA afirmou que o caso será investigado.

Leia também:

“Manual” sugere como o Estado Islâmico está construindo o próprio governo

Continua após a publicidade

Britânicos realizam primeiros ataques aéreos na Síria

Em vídeo, Estado Islâmico decapita homem acusado de ser espião russo

Ataque ao Exército sírio – A Síria afirmou nesta segunda-feira que quatro aviões de guerra da coalizão liderada pelos Estados Unidos bombardearam no domingo um acampamento do Exército sírio na província de Deir al Zor, no que seria o primeiro ataque conhecido da coalizão contra as forças de Bashar Assad. Três soldados foram mortos e 13 ficaram feridos, de acordo com as autoridades, que definiram o ataque como um ato de agressão.

Entretanto, autoridades da aliança liderada pelos EUA negaram que sejam os autores do ataque. Uma fonte militar americana, falando sob condição de anonimato, disse que os EUA estão certos de que a Rússia foi a responsável pelo bombardeio. O enviado do presidente dos EUA, Barack Obama, para a coalizão, Brett McGurk, também negou alegações de responsabilidade, dizendo em sua conta no Twitter: “Os relatos de envolvimento da coalizão são falsos”.

Os jatos dispararam nove mísseis contra o acampamento na noite de domingo, segundo um comunicado do Ministério das Relações Exteriores da Síria divulgado pela televisão estatal. É o primeiro incidente desse tipo declarado publicamente desde que os Estados Unidos e países aliados começaram a bombardear o grupo terrorista Estado Islâmico na Síria, mais de um ano atrás.

O Ministério das Relações Exteriores da Síria enviou cartas ao secretário-geral da Organização das Nações Unidas e ao chefe do Conselho de Segurança da ONU condenando a “flagrante agressão… que vai firmemente contra os objetivos da Carta das Nações Unidas”, disse a agência de notícias estatal síria Sana.

(Com agências France-Presse e Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade