Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ataques a igrejas católicas na Nigéria matam ao menos 32

Cinco igrejas foram atingidas por explosões planejadas pelo grupo Boko Haram

Por Da Redação 25 dez 2011, 09h39

O Natal na Nigéria foi marcado por uma série de atentados terroristas a igrejas católicas, que deixaram ao menos 32 pessoas mortas neste domingo nas cidades de Madalla, Damatru, Gadaka e Jos. Cinco igrejas foram alvo de explosões. O primeiro ataque, que ocorreu em Madalla, perto da capital Abuja, deixou pelo menos 27 mortos. A informação foi confirmada pelo governo nigeriano após ser passada por um religioso local.

“Os responsáveis que fizeram a contagem me disseram que 27 pessoas morreram”, declarou o padre Christopher Bard, informando que a explosão aconteceu ao final da missa de Natal. No momento da explosão, havia na igreja um número indeterminado de pessoas, informou o porta-voz da agência nigeriana de primeiros socorros (Nema), Yushau Shuaib.

O segundo atentado atingiu uma igreja na cidade de Jos, na região central da Nigéria. A cidade havia recebido ameaças do grupo islamita Boko Haram nos últimos dias, de acordo com informações publicadas no sábado pelo jornal nigeriano Tribune. Pelo menos uma pessoa, um policial, morreu neste atentado na igreja de Jos, onde eram realizados os serviços de comemoração do Natal.

Outras três explosões foram registradas no nordeste da Nigéria. Duas foram na cidade de Damaturu, onde quatro pessoas morreram neste domingo. A outra aconteceu na noite de sábado, em uma igreja de Gadaka, informaram várias testemunhas. Segundo elas, cerca 200 pessoas que estavam nas igrejas estão desparecidas. Os trabalhos de resgate prosseguem em meio aos escombros.

Boko Haram – Os atentados foram reivindicados pelo grupo islamita radical Boko Haram, que assumiu a autoria de todas as explosões neste domingo de Natal na Nigéria. “Somos responsáveis por todos os ataques dos últimos dias, inclusive a bomba na igreja de Madalla”, disse por telefone um porta-voz do Boko Haram, Abul Qaqa, à agência France-Presse. “Continuaremos lançando ataques como estes no norte do país nos próximos dias”, ameaçou.

Na última semana, o grupo realizou ataques em dois estados do nordeste nigeriano, repetindo a onda de explosões no Natal do ano passado, quando o Boko Haram promoveu uma série de ataques que deixou 32 mortos.

O Boko Haram – que significa “Educação ocidental é pecaminosa” em língua hauçá, do norte da Nigéria – tem princípios inspirados no fundamentalismo islâmico do Talibã e possui caráter separatista. Organizações de direitos humanos afirmam que, desde julho de 2010, mais de 250 pessoas foram mortas em ações do grupo.

Vaticano – O Vaticano classificou os atentados contra igrejas como atos “absurdos”, que demonstram um “ódio cego”, afirmou o porta-voz da Santa Sé, Federico Lombardi. Ele expressou a solidariedade da Igreja com todo o povo nigeriano e a igreja desse país africano, “golpeados pela violência terrorista em dias que deveriam ser de alegria e paz”.

Igreja em Madalla, na Nigéria, foi parcialmente destruída
Igreja em Madalla, na Nigéria, foi parcialmente destruída VEJA

(Com agências France-Presse e EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade