Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ataque terrorista em museu deixa 19 turistas mortos

Atentado atingiu o maior museu do país, que fica próximo ao Parlamento, na capital Túnis. A polícia invadiu o edifício, matou os quatro terroristas e libertou os reféns

(Atualizada às 12h45)

Homens armados fizeram um ataque ao maior museu de Túnis, capital da Túnisia, nesta quarta-feira, matando dezenove pessoas e ferindo ao menos 22 outras, informaram autoridades. A polícia da invadiu o local, matou os quatro terroristas e libertou os reféns que o grupo mantinha no Museu do Bardo. Dezessete dos turistas mortos são estrangeiros, disse o primeiro-ministro Habib Essid, complementando que eles são de nacionalidades italiana, polonesa, alemã e espanhola.

Os terroristas armados com fuzis automáticos Kalashnikov invadiram o museu e atacaram os visitantes. Vários disparos foram ouvidos no edifício que abriga o museu, que fica perto do Parlamento tunisiano, uma região com presença constante de policiais. Segundo um membro do partido islamita Ennahda, os trabalhos no Parlamento foram interrompidos por medidas de segurança. De acordo com o porta-voz do ministério do Interior da Tunísia, Mohamed Ali Aroui, dezenas de turistas se encontravam no museu no momento do ataque, mas a maioria foi evacuada. Reforços policiais e unidades antiterrorismo foram enviados à área e cercaram o prédio do museu.

Leia também

Veterano da Força Aérea americana vai responder por ajuda ao Estado Islâmico

Mãe sequestra os dois filhos e se junta ao EI na Síria

Polícia turca detém jovens britânicos que iam se juntar ao Estado Islâmico

O presidente Beji Caid Essebsi, por meio de nota, lamentou pelas vítimas e condenou o atentado, dizendo também que vai dar uma coletiva de imprensa sobre o episódio ainda hoje. Não se sabe ao certo quem são os responsáveis pelo ataque. Apesar de ser um país mais estável do que outros na região, a Tunísia tem lidado com grupos extremistas islâmicos ligados a Al Qaeda e ao Estado Islâmico (EI).

(Da redação)