Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ataque deixa pelo menos 75 mortos no Sudão do Sul

Facção do líder rebelde Matthew Paul Young atacou de forma indiscriminada a localidade de Mayum, afirma porta-voz do exército do país

Pelo menos 75 pessoas morreram neste sábado e outras 18 ficaram feridas em um ataque de milícias rebeldes na província de Al Wahda, no norte do Sudão do Sul, segundo o porta-voz do exército do país, Philippe Agouir.

Em declarações divulgadas pela televisão oficial, Agouir afirmou que 60 rebeldes morreram enquanto diversas milícias mataram 15 pessoas, entre elas nove soldados.

De acordo com o militar, a facção do líder rebelde Matthew Paul Young e outros grupos atacaram de forma indiscriminada a localidade de Mayum, no oeste de Al Wahda, uma província rica em petróleo.

Já o chefe militar do movimento Exército de Libertação do Sudão, Babni Munitiul, disse que suas forças passaram a controlar Mayum após um combate de quatro horas.

Ele acrescentou que suas milícias serão transferidas a outras áreas até tomar o controle da província e de todo o país, para libertá-lo da corrupção e discriminação racial do governo.

Sobre a oferta dos Estados Unidos de realizar uma mediação entre o governo do Sudão do Sul e os diferentes grupos rebeldes, Munitiul afirmou que os insurgentes tinham aceitado a proposta e culpou o executivo de colocar impedimentos para a solução do conflito. “O Governo titubeia, já que disse preferir conversas diretas com grupos armados, mas ao mesmo tempo acha que pode reprimir a rebelião militarmente”, argumentou.

O Sudão do Sul se tornou independente em julho, após um acordo assinado com o governo do norte em 2005 que pôs fim à guerra civil iniciada em 1983.

No entanto, o novo estado continua lutando para acabar com a violência tribal que matou cerca de 3.000 pessoas neste ano, segundo números da Organização das Nações Unidas.

(Com agência EFE)