Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ataque contra igreja no Paquistão deixa 78 mortos

No país de maioria muçulmana, há apenas 4% de católicos. Desde junho, mês em que o primeiro-ministro Nawaz Sharif chegou ao poder, aumentaram os ataques motivados por diferenças religiosas

Por Da Redação - 22 set 2013, 16h52

Um atentado suicida em uma igreja na cidade de Peshawar, no Paquistão, deixou 78 mortos e cem feridos neste domingo, no ataque considerado o mais grave do país desde junho, quando Nawaz Sharif foi empossado primeiro-ministro. As informações são do ministro do Interior, Chaudhry Nisar Ali Khan. No balanço feito até o momento, foram contabilizadas as mortes de 34 mulheres e de sete crianças. “Quem são estes terroristas matando mulheres e crianças?”, perguntou o ministro.

Atentado mata ao menos 60 pessoas no Paquistão

Os homens-bombas atacaram a histórica Igreja de Todos os Santos quando centenas de paroquianos saíam do prédio depois da missa de domingo. “Eu ouvi duas explosões. As pessoas começaram a correr. Restos humanos estavam espalhados por toda a igreja”, disse uma paroquiana, que deu apenas seu primeiro nome, Margrette.

A intolerância religiosa e os ataques contra as forças de seguranças têm aumentado no Paquistão nos últimos meses, afetando os esforços de Nawaz Sharif do país de controlar a insurgência. Cristãos correspondem a cerca de 4% da população do Paquistão de 180 milhões de pessoas. Ninguém assumiu a responsabilidade pelo atentado.

Continua após a publicidade

LEIA TAMBÉM:

Atentado a bomba mata nove militares paquistaneses

Atentados contra alvos xiitas matam 41 no Paquistão

(Com Agência Reuters)

Publicidade