Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Ataque com mísseis ao porto de Odessa deixa 19 mortos, diz Ucrânia

Os mísseis atingiram um bloco de apartamentos e um resort; Kremlin continua negando que tem civis como alvo

Por Da Redação Atualizado em 1 jul 2022, 08h47 - Publicado em 1 jul 2022, 08h46

A Rússia bombardeou nesta sexta-feira, 1, o porto ucraniano de Odessa, no Mar Negro, deixando ao menos 19 mortos. O ataque com mísseis atingiu um bloco de apartamentos e um resort, segundo a Ucrânia, horas depois que soldados russos deixaram a vizinha ilha conhecida como Snake Island.

Um pedaço de um prédio de nove andares foi completamente destruído por um míssil na madrugada de sexta-feira. As paredes e janelas de um prédio vizinho de 14 andares também foram danificadas pela onda de choque do impacto.

Autoridades ucranianas disseram que pelo menos 16 pessoas foram mortas no bloco de apartamentos na vila de Serhiivka, e outras três, incluindo uma criança, em ataques que atingiram resorts de férias próximos.

O Kremlin continua negando que tem civis como alvo: “Gostaria de lembrá-los das palavras do presidente de que as Forças Armadas russas não trabalham com alvos civis”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, a repórteres.

Milhares de civis foram mortos desde que a Rússia invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro. O escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos registrou 10.631 vítimas civis no país: 4.731 mortos e 5.900 feridos – e alerta ainda que “os números reais são consideravelmente mais altos, pois o recebimento de informações de alguns locais onde ocorreram intensas hostilidades foi adiado e muitos relatórios ainda aguardam confirmação”.

Um dia antes, a Rússia retirou seus soldados de Snake Island, ilha estratégica que havia tomado no primeiro dia da guerra e usou para controlar o noroeste do Mar Negro, onde bloqueou Odessa e outros portos. A esperança de Kiev é que isso permita a reabertura de portos para o escoamento da produção de grãos da nação, conhecida como “a cesta de pão do mundo”.

No entanto, o ataque a Odessa com mísseis de longo alcance coloca dúvidas sobre isso. O bombardeio faz parte de ataques russos no interior da Ucrânia, longe das linhas de frente, incluindo um bombardeio na segunda-feira que matou pelo menos 19 pessoas em um shopping lotado.

A Rússia concentrou sua principal campanha terrestre no leste, onde exige que Kiev ceda o controle total de duas províncias a representantes separatistas pró-Rússia. Moscou está prestes a capturar uma dessas províncias, Luhansk, desde que tomou a cidade de Severodonetsk na semana passada, após alguns dos combates mais pesados ​​da guerra. O último bastião da Ucrânia em Luhansk é a cidade de Lysychansk, do outro lado do rio Siverskyi Donets, que está perto de ser cercada pelos russos.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)