Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ataque atribuído às Farc paralisa exportação de carvão na Colômbia

Por Raul Arboleda - 18 dez 2011, 19h41

Um ataque com explosivos atribuído às Farc contra uma linha ferroviária da mineradora colombiana El Cerrejón, no departamento (estado) La Guajira (leste, fronteira com a Venezuela), paralisou as exportações de carvão, informaram neste domingo uma fonte oficial e a empresa.

“O atentado é uma sequência de atos criminosos que as Farc vêm cometendo em La Guajira, em especial na área da El Cerrejón (…) É provável que o acontecimento bloqueie o transporte da mina por três dias”, disse à rádio RCN Radio o vice-presidente de sustentabilidade de El Cerrejón, Julián González.

“Deixamos de exportar 100 mil toneladas de carvão diariamente e isso, em números redondos, representa US$ 4 milhões de dólares diários que todos os colombianos perdemos”, disse à rádio Caracol o ministro de Minas e Energia, Mauricio Cárdenas.

González esclareceu que o atentado não deixou feridos, nem vítimas fatais, e destacou que o ataque aconteceu na jurisdição do porto marítimo de Puerto Bolívar, no Caribe, situado a 15 km das instalações centrais da mina, provocando a destruição de 240 metros de linha ferroviária e o descarrilamento de três trens de carga.

Continua após a publicidade

El Cerrejón é a maior mina de carvão a céu aberto do mundo e produz anualmente uma média de 32 milhões de toneladas do mineral. A empresa é de propriedade das multinacionais AngloAmerican, da África do Sul, BHP Billiton, da Austrália, e Xstrata, subsidiária da suíça Glencore.

Publicidade