Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Ataque a hospital dos Médicos Sem Fronteiras mata 9 no Afeganistão

Organização humanitária afirma ter informado a tropas afegãs e americanas a localização do centro médico. Governo afegão culpa os EUA pelo ataque

Por Da Redação
3 out 2015, 08h30

Um bombardeio contra um hospital da organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) em Kunduz, no Afeganistão, matou neste sábado pelo menos nove membros da instituição e feriu gravemente mais de trinta. Dezenas de pessoas ainda estão desaparecidas. Dezenove dos feridos também pertencem à equipe da MSF, informou a organização.

As vítimas em estado mais grave foram transferidas para um hospital regional em Puli Khumri, a cerca de duas horas de distância do local dos ataques. A MSF classificou o bombardeio como “horrível” e condenou “nos termos mais enérgicos” o ataque ao hospital, que ficou parcialmente destruído. A organização esclareceu que tinha dado as coordenadas específicas do centro para todas as partes do conflito, incluídos os talibãs e as tropas afegãs e americanas. “O bombardeio continuou durante mais de 30 minutos depois de as autoridades militares americanas e afegãs fossem informadas em Cabul e Washington”, afirma a organização humanitária.

O porta-voz das tropas americanas no Afeganistão, o coronel Brian Tribos, reconheceu que um bombardeio dos EUA em Kunduz pode “ter produzido dano colateral a uma instalação médica próxima”, mas não entrou em detalhes e só acrescentou que o “incidente” está “sob investigação”. Pouco depois, o governo afegão afirmou que o ataque partiu dos EUA.

Na segunda-feira, os talibãs tomaram Kunduz em um ataque que tirou as autoridades da cidade, estratégica para as comunicações do norte do país, na vitória mais importante dos insurgentes desde que foram tirados do poder em 2001. As tropas afegãs declararam ter retomado a cidade na quinta-feira com um contra-ataque que contou com apoio aéreo dos Estados Unidos, mas desde então a batalha continua na cidade.

(Com agência EFE)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.