Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Astronautas russos levam bandeira de região separatista para o espaço

Cosmonautas que apoiaram Ucrânia no início da guerra agora celebram 'libertação' de Luhansk, cidade controlada por tropas de Moscou

Por Da Redação Atualizado em 4 jul 2022, 16h11 - Publicado em 4 jul 2022, 16h09

Três astronautas da agência espacial russa foram fotografados exibindo a bandeira das autoproclamadas repúblicas de Luhansk e Donetsk, ocupadas por separatistas pró-Rússia. No início da guerra, o trio foi elogiado por usar uniformes amarelos em aparente demonstração de apoio à Ucrânia.

+ Em Donbas, forças russas impõem primeira derrota militar de peso à Ucrânia

Em uma mensagem postada no canal oficial da agência Roscosmos no Telegram, Oleg Artemyev, Denis Matveyev e Sergey Korsakov aparecem na Estação Espacial Internacional (ISS) segurando as bandeiras dos dois territórios ocupados.

A foto dos astronautas acompanha uma mensagem de celebração do que a agência espacial russa chamou de “libertação” de Luhansk.

“Este é um dia muito esperado que os moradores das áreas ocupadas da região de Luhansk esperam há oito anos. Estamos confiantes de que 3 de julho de 2022 ficará para sempre na história da República Popular de Luhansk”, informou o comunicado.

Continua após a publicidade

+ Civis devem evacuar última cidade livre de Luhansk, diz Ucrânia

Não está claro como as bandeiras das duas repúblicas autodeclaradas chegaram a bordo da ISS. Artemyev, Matveyev e Korsakov foram a primeira tripulação russa a se juntar à estação espacial internacional desde que a invasão russa da Ucrânia começou em 24 de fevereiro.

Na ocasião, os astronautas usaram uniformes amarelos, o que foi interpretado como uma mensagem de solidariedade à Ucrânia. Questionado sobre o gesto, Artemyev disse que a cor usada foi mera coincidência e não um apoio ao país governado por Volodymyr Zelensky.

+ Moscou concretiza avanços em Donbas, a caminho de conquistar a região

Continua após a publicidade

A divulgação da fotografia acompanha o anúncio da tomada da região por Moscou. Neste domingo, 3, o exército do presidente Vladimir Putin afirmou ter conquistado o controle total sobre a região de Luhansk, após a saída das forças ucranianas da cidade de Lysychansk.

Em comunicado oficial, o Kremlin informou que o território capturado seria entregue à autoproclamada República Popular de Luhansk, cuja independência reconheceu às vésperas da guerra. A posição oficial da Rússia é a de que sua “operação militar especial” na Ucrânia visa proteger os falantes de russo dos nacionalistas ucranianos.

+ Putin reconhece independência de repúblicas separatistas da Ucrânia

Quase um terço da área, situada na região de Donbas, foi tomada por forças separatistas pró-Rússia em 2014. O território fica na fronteira entre os dois países em conflito e é o antigo centro industrial da Ucrânia. Predominantemente de língua russa, a área é considerada estratégica para o Kremlin, que construiu um corredor terrestre ligando a Rússia à península da Crimeia, anexada por Moscou há 8 anos.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.