Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Assessora de Jonhson renuncia por piada sobre festa durante lockdown

Confraternização aconteceu no período em que reuniões e encontros estavam proibidos em Londres devido à pandemia do coronavírus; premiê diz que não sabia

Por Da Redação Atualizado em 8 dez 2021, 16h34 - Publicado em 8 dez 2021, 16h26

Uma das conselheiras do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, renunciou ao cargo nesta quarta-feira (8) após vazamento de um vídeo na qual ela faz piada sobre uma festa ocorrida dentro de Downing Street, sede do governo, durante o natal de 2020. Na época, as celebrações e reuniões estavam proibidas no país.

O vídeo mostra Allegra Stratton, então assessora de imprensa de Johnson, ensaiando uma entrevista diária no prédio.

Na sequência, um outro funcionário a questiona, como se fosse um jornalista, sobre uma festa de natal ocorrida entre membros do governo.

Stratton fica sem palavras, ri e afirma que não houve distanciamento social na reunião. 

Nesta quarta, ela divulgou um comunicado dizendo que ofereceu sua renúncia e que estava arrependida pelo resto de sua vida. Também disse que suas palavras foram uma “distração” na luta contra o coronavírus.

“Eu entendo a raiva e a frustração que todos sentem de mim nesse momento. Ofereço minhas profundas desculpas a todos vocês”, disse em comunicado.

Em sessão no Parlamento, o premiê se desculpou e disse que sua equipe assegurou que não houve nenhum tipo de reunião no período.

No entanto, a CNN informou que os encontros aconteceram nos dias 27 de novembro e 18 de dezembro – a primeira, inclusive, contou com um discurso improvisado de Johnson.

As acusações são prejudiciais para o governo, uma vez que dificultam a aplicação de futuras restrições ao coronavírus e endossam a narrativa de hipocrisia por parte das autoridades britânicas.

Continua após a publicidade

Em 2020, um outro assessor do premiê e o secretário de saúde foram obrigados a renunciar após escândalos de desrespeito à pandemia. 

Além das desculpas, Boris Johnson informou ao Parlamento que o secretário de gabinete irá investigar a situação e um relatório será entregue.

Ele disse ainda que “haverá ação disciplinar para todos os envolvidos”, além de ter ficado furioso ao ter visto a gravação. 

Ambas as reuniões ocorreram enquanto Londres estava sob medidas restritivas.

No dia 17 de dezembro, um dia antes da festa, o governo disse por meio do Twitter que as pessoas não deveriam ter um almoço ou festa de natal de trabalho, uma vez que essa atividade é principalmente social. 

O escândalo surge num momento em que o premiê considera a imposição de novas medidas restritivas para conter o avanço da nova variante ômicron.

Além disso, há inúmeras acusações de que Johnson parecia ter uma regra diferente para ele e seu pessoal mais próximo durante a pandemia. 

Em defesa, alguns funcionários alegaram que não houve uma festa, de fato, mas sim um momento em que eles bebiam e conversavam após mais de 18 horas de trabalho.

Alguns empregados, tidos como “funcionários-chave” pelo governo, trabalharam de maneira presencial durante esse período. 

Um dos relatos afirma que, durante a reunião de 27 de novembro, o premiê estava indo em direção a seu apartamento em Downing Street, quando parou no local da festa para realizar um discurso improvisado. 

Essa informação corrobora a ideia de que havia um conjunto de regras diferentes para pessoas próximas a ele.

Continua após a publicidade

Publicidade