Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Assassino é salvo de execução por família da vítima no Irã

O criminoso chamado Balal já estava com a corda em torno do pescoço quando os parentes do jovem que ele matou interromperam a execução pública

Por Da Redação 18 abr 2014, 07h10

Um iraniano conhecido apenas como Balal, de aproximadamente 20 anos, teve a vida salva nesta semana quando a família de Abdollah Hosseinzadeh, um jovem de 18 anos morto por ele durante uma briga de rua, interrompeu o enforcamento público do criminoso para perdoá-lo. O assassino já se encontrava com a corda no pescoço quando os parentes se aproximaram para seguir a qisas, uma lei prevista na constituição iraniana que permite à família da vítima participar da punição ao criminoso puxando a cadeira que o mantém de pé antes de ser enforcado. Ao chegar perto de Balal, no entanto, a mãe da vítima deu-lhe apenas um tapa no rosto, enquanto o pai retirou a corda que seria usada na aplicação da pena capital.

Leia também:

Irã determina execução de condenado que sobreviveu a enforcamento

Ministro iraniano diz que “não há necessidade” de enforcar condenado novamente

Fotografias divulgadas pela agência iraniana Isna mostram a mãe da vítima chorando abraçada com a mãe do criminoso perdoado. Segundo o jornal britânico The Guardian, a atitude foi ainda mais impressionante porque a mãe de Hosseinzadeh já havia perdido outro filho, morto em um acidente de moto quando tinha apenas 11 anos. O Irã, inclusive, vem sendo criticado por grupos defensores dos direitos humanos por execuções em massa de seus prisioneiros. A Anistia Internacional acredita que 199 pessoas tiveram as penas capitais aplicadas somente neste ano. Em 2013, o governo disse ter operado 369 execuções, mas a Anistia suspeita que outras centenas podem ter ocorrido em segredo.

Continua após a publicidade
Publicidade