Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Assassino do ‘Sniper Americano’ pega prisão perpétua

Veterano da Guerra do Iraque, Eddie Ray Routh foi condenado pela morte de Chris Kyle, o atirador de elite que inspirou o filme dirigido por Clint Eastwood

O ex-fuzileiro naval Eddie Ray Routh, assassino do militar que inspirou o filme Sniper Americano, foi condenado à prisão perpétua sem direito à condicional na noite desta terça-feira em um julgamento no Texas, nos Estados Unidos. Veterano da Guerra do Iraque, Routh, de 27 anos, matou a tiros Chris Kyle, o atirador de elite mais letal da história militar americana e autor da autobiografia que deu origem ao filme de Clint Eastwood. O crime aconteceu em um campo de tiro no Texas, em fevereiro de 2013. Routh também assassinou Chad Littlefield, amigo de Kyle.

Leia também:
‘Meu papel era matar pessoas’, diz atirador de elite dos EUA
Filme ‘Sniper Americano’ é banido de cinema no Iraque

A defesa do réu tentou alegar insanidade, argumentando que na época das mortes ele sofria com problemas mentais decorrentes do estresse pós-traumático causado pelos anos de serviço militar. A acusação, no entanto, declarou que o ex-fuzileiro tinha plena consciência de seus atos e premeditou uma emboscada contra as vítimas. Routh foi levado ao campo de tiro por Kyle, que estava ajudando colegas veteranos a curar as cicatrizes mentais da guerra. Depois de duas semanas de julgamento, o júri popular formado por dez mulheres e dois homens concordou com a acusação e declarou Routh culpado pelas mortes. Os promotores não haviam pedido a pena de morte para o réu.

Filme

O julgamento trouxe ainda mais atenção para a história de Kyle, considerado um herói de guerra nos Estados Unidos, e para o filme Sniper Americano. Na produção, o atirador de elite é interpretado pelo ator Bradley Cooper. Sucesso de bilheteria, o filme já faturou mais de 400 milhões de dólares nos cinemas. Indicado a seis categorias no Oscar do último domingo, Sniper Americano levou apenas a estatueta de melhor edição de som.

(Com agências EFE e AFP)