Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Argentina desdenha de ameaças de represálias por YPF

'Governo pensa nos argentinos, não nos americanos ou espanhóis', disse em entrevista coletiva Florencio Randazzo, ministro do Interior de Cristina

O governo da Argentina tenta minimizar as advertências da comunidade internacional sobre a expropriação da pertolífera YPF.

Mesmo após as diversas repreensões e ameaças de represálias por parte de Espanha, Estados Unidos e União Europeia, o país latino insiste em manter uma posição inflexível sobre a decisão da presidente Cristina Kirchner.

O ministro do Interior argentino Florencio Randazzo reforçou a postura arrogante do governo Cristina em entrevista coletiva concedida depois de uma reunião do ministro espanhol de Relações Exteriores, José Manuel García-Margallo, e a secretária de Estado americana Hillary Clinton, nesta quinta-feira em Bruxelas.

“O governo toma suas deciões pensando nos argentinos, não no que pensam os Estados Unidos ou a Espanha”, disse. Randazo afirmou ainda que o governo “não se preocupa com nenhum tipo de represálias contra o país”. A expropriação, dia ele, é uma medida “de acordo com a lei e às pautas que estabelece a Constituição Nacional”.

O ministro encerrou a fala de forma categórica: “A decisão de levar adiante o projeto que declara de interesse público a exploração de hidrocarboneto e a expropriação de 51% da YPF está vinculado a um tema estratégico para a Argentina”.