Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Argentina anuncia abertura de fronteiras para brasileiros

Em pacote de alívio às restrições, governo também suspendeu obrigatoriedade do uso de máscaras em espaços abertos

Por Da Redação Atualizado em 21 set 2021, 15h57 - Publicado em 21 set 2021, 15h56

O governo da Argentina anunciou nesta terça-feira, 21, a flexibilização das restrições que havia imposto devido à pandemia da Covid-19, incluindo a reabertura gradual de suas fronteiras para permitir a entrada de todos os estrangeiros já em novembro. A partir de 1º de outubro já estarão liberados turistas brasileiros vacinados e de outros países vizinhos.

“Se isso continuar nesta direção, significa que talvez estejamos passando pelo último estágio da pandemia”, disse o chefe da Casa Civil, Juan Manzur, na entrevista coletiva em que foi anunciada a flexibilização e coletados dados epidemiológicos “promissores” levantados juntamente com a ministra da Saúde, Carla Vizzotti.

O fechamento das fronteiras havia sido ordenado pelo presidente Alberto Fernández em junho para conter o avanço da variante Delta. Embora o turismo já estivesse proibido desde dezembro, o governo havia decidido controlar também a entrada de residentes que estavam no exterior e até mesmo de argentinos que desejavam retornar.

Agora, com a abertura gradual das fronteiras, já na próxima sexta-feira o isolamento de argentinos, residentes e estrangeiros que entram no país a trabalho será eliminado.

Entretanto, a partir de 1º de outubro, a entrada de estrangeiros de países vizinhos será autorizada em isolamento e a abertura de fronteiras terrestres a pedido dos governadores e possibilitando corredores seguros com cotas de acordo com a capacidade de cada jurisdição.

Entre 1º de outubro e 1º de novembro, a nova medida prevê um aumento progressivo da cota de entrada em todos os corredores seguros, aeroportos, portos e terrestres.

Já a partir de 1º de novembro, todos os estrangeiros serão autorizados a entrar, desde que totalmente vacinados pelo menos 14 dias antes da chegada ao país. Também será preciso apresentar um teste PCR negativo 72 horas antes do embarque e um teste PCR nos dias 5 a 7 após a chegada. 

Continua após a publicidade

Estrangeiros que não apresentarem esquema vacinal completo, incluindo menores de idade, terão de ser submetidos a quarentena, teste de antígeno na entrada e teste de PCR.

Máscaras ao ar livre

Como parte das medidas de alívio às restrições, o governo também suspendeu a obrigatoriedade do uso de máscaras em espaços abertos. O item ainda será obrigatório em locais fechados e ao ar livre quando houve aglomeração de pessoas.

Além isso, a capacidade de lotação foi elevada para 100% em atividades econômicas, industriais, comerciais, de serviços, religiosas, culturais, esportivas, recreativas e sociais em locais fechados.

Em boates, no entanto, a capacidade foi fixada em 50% e é preciso apresentar esquema vacinal completo.

Já nas discotecas, foi fixada uma capacidade de 50% e a entrada deve apresentar o esquema vacinal completo pelo menos 14 dias antes do evento. Eventos para mais de mil pessoas, o que inclui jogos de futebol, também terão capacidade de 50%. 

Segundo Juan Manzur, “o nível de flexibilização continuará aumentando” à medida que os resultados pretendidos pelo governo forem concretizados.

O governo busca atingir 50% da população vacinada com duas doses da vacina contra a Covid-19, para a qual o Ministério da Saúde indicou que seriam necessárias cerca de 2,5 milhões de doses, pois 43,7% já completaram o esquema de vacinação. Manzur disse que nos próximos 15 a 20 dias “o nível ideal de cobertura” seria alcançado.

A Argentina acumula 5,2 milhões de casos positivos e 114.518 de mortes desde o início da pandemia. 

Continua após a publicidade
Publicidade