Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Apresentador chinês é suspenso por xingar Mao Tsé-tung

Em vídeo, um dos principais apresentadores da emissora estatal chinesa aparece xingando o ditador durante um jantar

Por Da Redação 8 abr 2015, 20h26

Um dos principais apresentadores da emissora estatal chinesa CCTV foi suspenso após ser filmado xingando o ditador comunista Mao Tsé-tung durante um jantar privado. O vídeo mostra Bi Fujian – coapresentador do maior programa da rede, o baile de ano novo – entretendo os outros convidados com uma paródia de uma canção da época da Revolução Cultural (1966-1976) – tragédia que resultou na morte de 3 milhões de pessoas – e se referindo ao ditador como “filho da p…”.

Segundo o jornal local West China Metropolis Daily, todos os programas apresentados por Bi foram suspensos entre os dias 8 e 12 de abril e não há indicações de que irão ao ar depois desse período. Em uma declaração oficial, a CCTV afirmou que a atitude do apresentador “causou sério impacto social”. “Nós vamos investigar o assunto de forma consciente e lidar com isso de forma séria, de acordo com as normas e regulamentações em vigor”.

Leia também:

China censura carta de criança que chamou o presidente de gordo

China proíbe concurso de beleza gay

A música cantada por Bi no vídeo fazia parte das únicas oito composições permitidas durante o tempo em que o ditador comandou a China. Um comentário publicado no site China Youth Net, organizado pela juventude do partido comunista, critica a atitude de Fujian, afirmando que ele deve desculpas à população da China. “Nem tudo e todos podem ser zombados sem consideração, mesmo que seja uma reunião privada em domínio privado”, dizia.

Um artigo publicado no jornal chinês Global Time dizia que comentários feitos em ambiente privado não deveriam ser usados para identificar a posição política de uma pessoa, mas que Bi deveria assumir a responsabilidade pelas “observações impróprias”. Já para o professor de jornalismo da Beijing Foreign Studies University, Qiao Mu, a suspensão dos programas do apresentador foi muito além do necessário, pois Mao é uma figura pública e as pessoas têm o direito de fazer comentários sobre ele.

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade