Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após vídeo com maus-tratos, Anistia Internacional quer ter acesso a centros para refugiados na Hungria

A ONG destaca que as imagens mostram "as deploráveis condições que estas pessoas enfrentam, detidas pelas autoridades da Hungria"

A Anistia Internacional (AI) pediu nesta sexta-feira que as autoridades húngaras permitam que ONGs e organizações humanitárias tenham acesso aos centros de amparo de refugiados do país. A AI também solicitou melhores condições nesses locais.

“Os observadores de direitos humanos devem ter acesso imediato aos centros de amparo e devem fazer todos os esforços possíveis para melhorar as condições nas quais permanecem os refugiados e solicitantes de asilo”, disse a AI em comunicado.

Leia mais:

Vídeo exibe tratamento desumano recebido por imigrantes na Hungria

A organização faz referência às imagens que mostram policiais lançando comida para dezenas de refugiados no centro de amparo da cidade de Röszke, próxima à fronteira com a Sérvia.

O vídeo “destaca as deploráveis condições que estas pessoas enfrentam, detidas pelas autoridades da Hungria”, acrescenta a nota, onde Barbora Cernusakova, investigadora da AI, classifica o caso de “verdadeiramente repugnante”.

A Anistia denuncia que as autoridades húngaras lhe negaram o acesso ao centro de Röszke quando foi solicitado. Por outro lado, a ONG pôde falar com refugiados que informaram sobre “maus-tratos por parte da polícia e sobre a escassez de alimentos e água, assim como de instalações de saúde”.

As condições no centro de Röszke, como o vídeo citado, consternaram também outras organizações internacionais, como Human Rights Watch, que criticou Budapeste hoje pelas mesmas razões.

(Com EFE)