Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após queda de avião, espaço aéreo do leste da Ucrânia é fechado

Lufthansa e Air France alteraram suas rotas para evitar sobrevoar a área onde um avião da Malaysia Airlines foi abatido

(Atualizado às 17h56)

As autoridades ucranianas fecharam todas as rotas aéreas sobre o leste do país depois da queda de um Boeing 777 da Malaysia Airlines, indicou a organização europeia para a segurança da navegação aérea, Eurocontrol.

“Todos os planos de voo que incluam essas rotas estão sendo negados neste momento pela Eurocontrol”, indicou a organização. “Essas rotas permanecerão fechadas até nova ordem.”

Mais cedo, a companhia aérea alemã Lufthansa comunicou que optou por evitar o espaço aéreo da queda do Boeing. Segundo autoridades ucranianas o vôo com 298 pessoas – 283 passageiros e quinze tripulantes – foi abatido. Separatistas pró-russos da região de Donetsk, onde o avião caiu, afirmam que não derrubaram a aeronave. As empresas Virgin Airlines, Air France, Emirates, British Airways, Delta e Turkish Airlines também anunciaram mudanças nas rotas de seus aviões que sobrevoam a região entre a Ucrânia e a Rússia.

Segundo informações da Agência Federal de Aviação americana (FAA, na sigla em inglês), a maioria dos voos comerciais já estava evitando sobrevoar a região, e utilizava rotas mais ao sul. Por causa do mau tempo que prejudicava o voo por rotas mais ao sul do leste ucraniano, o voo MH17 da Malaysian Airlines utilizou uma via aérea que sobrevoava a região com conflitos entre as tropas ucranianas e milícias pró-Rússia.

Leia também

Avião da Malásia com 295 pessoas cai na Ucrânia

Ucrânia acusa Rússia de derrubar um de seus caças

O voo MH17 voava de Amsterdã, na Holanda, para Kuala Lumpur, na Malásia. Uma fonte do Ministério do Interior da Ucrânia afirmou que a aeronave foi abatida por um míssil a uma altitude de 10.000 metros sobre o leste da Ucrânia, região onde separatistas pró-Rússia enfrentam as forças de Kiev. O primeiro-ministro ucraniano Arseniy Yatsenyuk ordenou uma investigação sobre a “catástrofe”.

A Ucrânia acusou nesta quinta a Rússia de derrubar um de seus aviões de guerra, um modelo Sukhoi Su-25. O piloto sobreviveu após se ejetar do caça avariado, informou Andrei Lisenko, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional e Defesa ucraniano. Na segunda-feira, um avião cargueiro da Força Aérea ucraniana foi abatido no leste do país. Segundo Kiev, o foguete que derrubou a aeronave partiu do lado russo da fronteira. Lisenko confirmou que dois dos oito tripulantes do avião de transporte modelo An-26 derrubado foram encontrados mortos, enquanto quatro foram resgatados e outros dois aprisionados pelos rebeldes separatistas. A Rússia ainda não emitiu nenhum comunicado sobre o caso.