Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após escândalo, governador republicano demite assessora

Apontado como um nome forte para a corrida presidencial de 2016, Chris Christie disse que não sabia do envolvimento de integrantes de sua equipe em vingança contra desafeto político

O governador de Nova Jersey, Chris Christie, comunicou nesta quinta-feira a demissão de uma de suas principais assessoras, que está no centro de um escândalo político revelado na quarta pela imprensa americana. O republicano, considerado um nome forte para a disputa presidencial de 2016, pediu desculpas “ao povo de Nova Jersey”. “Estou envergonhado e humilhado pela conduta de algumas pessoas que integram a minha equipe”.

A subchefe de da equipe de assuntos legislativos e intergovernamentais Bridget Anne Kelly é apontada como responsável pelo fechamento de pistas que ligam Fort Lee, cidade vizinha a Nova York, à ponte George Washington, uma das mais movimentadas do mundo. O fechamento seria uma retaliação contra um desafeto político, o democrata Mark Sokolich, prefeito de Fort Lee, que não apoiou Christie em sua campanha pela reeleição no ano passado. Promotores anunciaram que vão investigar se o fechamento das pistas violou alguma lei federal.

Em entrevista coletiva, o governador afirmou que foi enganado por sua equipe e que não sabia nada sobre o fechamento das pistas antes de ele ocorrer. Acrescentou que pessoas próximas o fizeram acreditar que as vias haviam sido bloqueadas como parte de um estudo de tráfego. “O que eu fiz de errado para fazer com que essas pessoas pensassem que mentir era algo aceitável?”, se perguntou. “O que eu quero que o povo de Nova Jersey saiba é que isso é uma exceção, não é a regra”.

Os problemas no trânsito ocorreram ao longo de quatro dias, em setembro do ano passado. Desde então, quando perguntado sobre a situação, o governador sempre negou que alguém de sua equipe ou de sua campanha tivesse qualquer envolvimento com a decisão. Nesta quarta, no entanto, a imprensa americana divulgou e-mails com mensagens apontando a participação da assessora. Em uma das mensagens, ela diz à autoridade portuária de Nova York e Nova Jersey que “era hora para alguns problemas de tráfego em Fort Lee”. Ao que David Wildstein, amigo do governador dos tempos de colégio e funcionário da entidade, respondeu: “Entendido”.

“Eu não tinha nenhum conhecimento ou envolvimento nessa questão, em seu planejamento ou execução, e estou chocado com a estupidez abjeta mostrada aqui”, disse Christie nesta quinta. No entanto, ele também assumiu sua responsabilidade, dizendo que, apesar de não saber sobre o ocorrido, tem responsabilidade por ser o governador. “Em última instância, eu sou responsável pelas coisas boas e ruins que acontecem em minha gestão”.

Ele destacou ainda que irá até Fort Lee para se encontrar pessoalmente com o prefeito Sokolich e pedir desculpas pelo ocorrido. E declarou que não indicará mais o seu administrador de campanha, Bill Stepien, para assumir o comando do Partido Republicano em Nova Jersey. O governador também quer que Stepien, que também foi citado nos e-mails divulgados pela imprensa, se afaste das funções que exerce na Associação Republicana de Governadores, entidade presidida pelo governador.

Saiba mais:

Durante tempestade Sandy, Obama e Christie trocaram elogios