Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Após dois dias, fuga cinematográfica mobiliza polícia em Nova York

Helicópteros e centenas de oficiais procuram os assassinos Richard Matt e David Sweat, que escaparam de uma prisão de segurança máxima no sábado

Por Da Redação 8 jun 2015, 18h48

Criminosos escavam pacientemente as paredes de uma prisão de segurança máxima sem que os policiais se deem conta da atividade no interior das celas. Por meio de duas pequenas passagens, eles têm acesso aos corredores metálicos do interior da estrutura prisional. Para que possam escapar, os bandidos abrem um buraco em uma tubulação de esgoto e percorrem 400 metros até saírem em liberdade. A descrição se assemelha ao roteiro do filme Um Sonho de Liberdade (The Shawshank Redemption), estrelado em 1994 por Tim Robbins e Morgan Freeman. Mas, para desespero das autoridades de Nova York, a fuga cinematográfica de fato aconteceu na Penitenciária Clinton de Dannemora, a 30 quilômetros da fronteira entre Estados Unidos e Canadá, no último sábado.

No domingo, mais de 200 policiais foram deslocados para encontrar os assassinos Richard Matt, de 48 anos, e David Sweat, de 34 anos. A caçada pelos criminosos continua nesta segunda-feira sem que haja qualquer pista do paradeiro dos bandidos. Helicópteros e cães farejadores se uniram aos oficiais que tentam determinar se Matt e Sweat cruzaram a fronteira com o Canadá ou seguiram para outra cidade americana. A certeza da fuga era tamanha que, em tom de deboche, os assassinos pregaram um bilhete ao lado do buraco que fizeram na tubulação de esgoto. Nele, estava desenhado o rosto de um homem chinês com a frase: “tenham um bom dia”.

Leia também:

Texas executa ‘veterano do corredor da morte’

Estado americano do Nebraska decide abolir a pena de morte

Andrew Cuomo, o governador de Nova York, ofereceu 50.000 dólares por informações que possam levar à captura de cada assassino. Cuomo frisou que eles são “indivíduos perigosos” e alertou para que as pessoas não interajam com eles, informou o New York Times. Os investigadores também tentam estabelecer como os criminosos orquestraram a fuga sem que os carcereiros desconfiassem de seus planos. Uma mulher que trabalhou na penitenciária foi interrogada sob a suspeita de ter agido como cúmplice dos bandidos. Acredita-se que a ajuda tenha vindo de dentro da prisão porque Matt e Sweat não teriam acesso às ferramentas usadas na fuga de outra forma.

Segundo a polícia, Matt cumpria 25 anos de prisão por ter sequestrado e espancado até a morte o seu chefe na cidade de Buffalo, em Nova York. Já Sweat foi condenado à prisão perpétua sem a possibilidade de pedir liberdade condicional por ter participado de um tiroteio que vitimou o xerife de um condado de Broome, também em Nova York.

Bilhete deixado pelos assassinos condenados Richard Matt e David Sweat, no túnel usado para a fuga da prisão de segurança máxima do estado de Nova York (EUA)
Bilhete deixado pelos assassinos condenados Richard Matt e David Sweat, no túnel usado para a fuga da prisão de segurança máxima do estado de Nova York (EUA) VEJA

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade