Clique e assine a partir de 9,90/mês

Após decreto, Parlamento egípcio voltará à ativa na terça

Legislativo, dissolvido por militares, foi restabelecido por novo presidente

Por Da Redação - 9 jul 2012, 08h40

O presidente do Parlamento egípcio convocou nesta segunda-feira uma sessão para terça, depois de um decreto do presidente Mohamed Mursi que restabeleceu o corpo legislativo, anteriormente dissolvido pelo governo militar. Saad al-Katatni convocou o Parlamento para uma sessão às 14h (9h de Brasília) de terça-feira, informou a agência oficial MENA.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, egípcios iniciaram, em janeiro, sua série de protestos exigindo a saída do então ditador Hosni Mubarak, que renunciou no dia 11 de fevereiro de 2011.
  2. • Durante as manifestações, mais de 800 rebeldes morreram em choques com as forças de segurança de Mubarak, que foi condenado à prisão perpétua acusado de premeditar e ordenar esses assassinatos.
  3. • A Junta Militar assumiu o poder logo após a queda do ditador e até a posse do novo presidente eleito, Mohamed Mursi.

Leia mais no Tema ‘Revolta no Egito’

A convocação de Katatni foi feita depois do anúncio da decisão do presidente Mursi de restabelecer o Parlamento dominado pelos islamitas, três semanas depois da dissolução pelos militares que governaram o país desde fevereiro do ano passado.

Mursi, que tomou posse em 30 de junho, é o primeiro presidente civil do Egito e pertence à Irmandade Muçulmana, rival histórico dos militares que dominam o sistema político do maior país árabe desde a queda da monarquia em 1952.

Continua após a publicidade

(Com agência France-Presse)

Publicidade