Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Após 24 anos, Suu Kyi viajará para exterior e falará no Parlamento britânico

Por Da Redação - 23 maio 2012, 12h08

Londres, 23 mai (EFE).- A líder opositora birmanesa Aung San Suu Kyi fará um histórico discurso no Parlamento britânico em 21 de junho durante sua primeira viagem internacional em 24 anos, que inclui também escalas na Suíça, Noruega e Irlanda.

O presidente da Câmara dos Comuns, John Bercow, anunciou nesta quarta-feira que ativista falará nas duas câmaras do Parlamento, uma honra reservada no passado a personalidades como Nelson Mandela, Barack Obama e o papa Bento XVI.

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, afirmou que a visita de Suu Kyi, classificada por ele como uma ‘mulher extraordinária’, é um ‘testemunho incrível’ do processo de mudança que está ocorrendo no país asiático.

Para a birmanesa, de 67 anos, que passou grande parte das duas últimas décadas sob prisão domiciliar, a viagem para o Reino Unido terá um grande componente emocional, pois ela deverá se reunir com seus filhos e netos, que ela pouco conhece.

Publicidade

Cameron revelou que foi durante sua visita a Mianmar no mês passado que convidou Suu Kyi para visitar o Reino Unido. Inicialmente, a ativista se mostrou reticente em fazer a viagem, pois temia que as autoridades birmanesas não permitissem que ela retornasse ao país.

Na primeira escala de sua passagem pela Europa, a vencedora do prêmio Nobel da Paz assistirá a conferência anual da Organização Internacional do Trabalho, em Genebra, provavelmente em 14 de junho. Dois dias depois, 21 anos depois, Suu Kyi fará o discurso que não fez quando ganhou o Prêmio Nobel.

Aung San Suu Kyi foi também convidada visitar a Irlanda por uma coalizão de ONG’s e deverá chegar em Dublin no dia 18 de junho.

Suu Kyi tomou posse como deputada do Parlamento de Mianmar em 2 de maio, um marco no processo democrático do país, que viveu mais de meio século de repressão política.

Publicidade

Sua causa foi levada para o grande público pelo grupo irlandês U2 no álbum ‘All That You Can’t Leave Behind’ através da música ‘Walk On’, escrito pelo cantor e ativista Bono para Suu Kyi. EFE

Publicidade