Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aos 91 anos, idoso se torna pessoa mais velha a ser julgada por tráfico de drogas

Victor Twartz foi preso quando transportava 5 quilos de cocaína da Índia para a Austrália, mas afirma ter sido enganado por uma quadrilha

Um idoso de 91 anos se tonou a pessoa mais velha a ser julgada por tráfico de drogas, após ser preso importando quase 5 quilos de cocaína da Índia para a Austrália. O cirurgião-dentista aposentado Victor Twartz, nascido em Sidney, na Austrália, diz que foi enganado por uma quadrilha, que o teria aliciado via e-mail para transportar a droga no mês passado. A cocaína estava escondida em 27 barras de sabonete, informou a polícia australiana.

Leia também:

Prefeito de cidade italiana ‘multa’ velhinhos que não se cuidam

Modelo colombiana é presa na China por tráfico de droga e pode pegar pena de morte

Twartz compareceu brevemente ao tribunal em Sidney nessa terça-feira, mas seu caso foi adiado para outubro e ele foi liberado sob o pagamento de fiança. Ao sair da audiência, Twartz falou com a emissora ABC e contou sua versão da história. Disse que se comunicou por meses com a quadrilha, que deveria ajudá-lo na liberação de uma herança no valor de 10 milhões de dólares, ou quase 35 milhões de reais, a que ele tinha direito. Segundo o aposentado, ele foi a Índia para assinar os papéis do recebimento do fundo e, pouco antes de embarcar de volta a Austrália, recebeu os sabonetes, que seriam uma forma de presentear um diretor de um banco de Sydney, que seria o responsável por gerenciar o dinheiro. O idoso ainda contou que o grupo deu 600 dólares, que correspondem a mais de 2.000 reais, para ele conseguir tirar o passaporte e pagar todas as despesas aéreas.

“Olhei atentamente para ver o que estava no sabonete. Esfreguei no corpo e eram sabonetes de verdade. Eles tinham uns traços brancos, mas achei que fosse do perfume colocado neles ou que fosse a maneira como fazem sabonetes na Índia”, disse Twartz. Católico devoto, o idoso citou também um trecho do Novo Testamento e afirmou que os responsáveis pela sua condenação deveriam ser transformados em um “lago de fogo”.

(Da redação)