Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ao menos 18 pessoas morrem na Síria apesar da presença de observadores da ONU

Cairo, 25 abr (EFE).- Ao menos 18 pessoas morreram nesta quarta-feira na Síria por causa das operações repressivas do regime de Bashar al Assad, apesar da presença dos observadores das Nações Unidas em diferentes focos de tensão, denunciaram grupos opositores.

Segundo a rede opositora Comitês de Coordenação Local (CCL), o maior número de vítimas foi registrado na província de Idlib (sete) e na periferia de Damasco (quatro), especialmente em cidades como Duma, que foi visitada por analistas internacionais nesta quarta-feira.

Em declarações à Agência Efe via internet, Jaafar al Jeir, coordenador do grupo Sham, explicou que membros da missão de observadores visitaram nesta quarta-feira, pela segunda vez em 48 horas, esta última cidade, situada a cerca de 10 quilômetros ao nordeste da capital.

Os observadores avaliaram o cumprimento do plano de paz na Síria, proposto pelo enviado especial das Nações Unidas e da Liga Árabe, Kofi Annan, e que os adversários aceitaram com reservas.

O plano inclui um cessar-fogo que entrou em vigor no dia 12 de abril, e que as partes desde então se acusam mutuamente de violar.

Neste sentido, as forças de Segurança voltaram a castigar redutos opositores do centro e norte do país, enquanto o regime denunciou que ‘grupos terroristas’ realizaram novos atentados.

Em declarações à Efe através da internet, o opositor Mujahid al Dugain denunciou que a cidade de Saraqeb, localizada na província de Idlib, amanheceu entre disparos, que foram prolongados por duas horas, enquanto a população próxima de Yisr al Shugur escutou várias explosões.

Além disso, ele informou que dezenas de pessoas se manifestaram contra o regime na cidade de Yaryanaz, ao término do funeral de uma mulher que morreu por causa dos ferimentos sofridos em um bombardeio das forças sírias contra sua casa.

Salem Kabbani, responsável pelos CCL, afirmaram que as forças sírias abriram fogo de forma indiscriminada nas localidades de Al Quseir e Al Rastan, na província de Homs, e que nesta última uma pessoa morreu por disparos.

Em declarações à Efe, o opositor explicou que no bairro de Al Qusor da cidade de Homs morreram três pessoas por impacto de tiros, francoatiradores estiveram no local e as forças militares mantiveram seus postos de controle nas ruas.

Por sua parte, a agência oficial ‘Sana’ informou que uma bomba explodiu nas últimas horas no bairro de Al Murya, em Aleppo, e causou ferimentos graves em três cidadãos e danos materiais nos edifícios próximos.

Além disso, um carro-bomba explodiu em um posto de controle das forças da ordem na província de Idlib e causou a morte de dois agentes de segurança, acrescentou. EFE