Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Antes do papado, fuga dos nazistas e guerra a comunistas

Joseph Ratzinger viveu os dramas da II Guerra e a luta ideológica da Guerra Fria. No Vaticano, ele acumulou poder - e foi muito próximo de João Paulo II

Por Da Redação 11 fev 2013, 09h52

A chocante decisão de renunciar ao pontificado, anunciada nesta segunda-feira, coloca mais um capítulo muito improvável na biografia de Joseph Ratzinger, o papa Bento XVI, de 85 anos. Sua trajetória pessoal antes de chegar ao trono de São Pedro é cheia de lances surpreendentes, desde sua participação na II Guerra Mundial (quando foi forçado a se juntar aos nazistas) até a batalha ideológica da Guerra Fria. Testemunha de alguns dos fatos mais marcantes do século XX, ele ajudou a moldar a Igreja Católica neste início de século XXI, ao transformar-se no homem forte do pontificado de João Paulo II. Seu poder dentro do Vaticano era tão avassalador que, na ausência de um papa tão carismático e marcante, foi escolhido para ocupar o posto, mesmo com a idade avançada. Sua escolha como sucessor de João Paulo II, há pouco mais de sete anos, foi o auge de um longo caminho desde o seminário, a carreira acadêmica e a entrada na estrutura de poder da Santa Sé.

Publicidade